últimas notícias

Litoral

Grupo de empresário tentar entrar na prefeitura.
Grupo de empresário tentar entrar na prefeitura.
Foto: Tribuna do Povo

Empresários ‘invadem’ Prefeitura de Ilhabela e cobram projetos para categoria

Os manifestantes buscam apoio do governo com ações que podem ajudar as empresas a enfrentarem a crise causada pela pandemia do novo coronavírus

Um grupo de empresários representantes de vários segmentos do comércio de Ilhabela, no Litoral Norte paulista, realizou um protesto em frente à prefeitura do arquipélago, na manhã desta sexta-feira (8). Eles queriam entrar no Paço e a Polícia Militar foi acionada.

Os manifestantes buscam apoio do governo com ações que podem ajudar as empresas a enfrentarem a crise causada pela pandemia do novo coronavírus sem precisar demitir funcionários ou declarar falência.

Depois do tumulto na entrada, os comerciantes exigiram falar com a prefeita Maria das Graças Ferreira, a Gracinha, e uma comissão foi montada.

Antes do desfecho desta sexta-feira, o grupo já havia entregue um documento à Prefeitura de Ilhabela, assinado em conjunto pela Associação Comercial e Empresarial de Ilhabela (ACEI), Conselho Municipal do Turismo (Comtur), Convention & Visitors Bureau e também pela Câmara de Ilhabela.

O setor econômico do arquipélago pleiteia linhas de crédito municipais voltadas para o Microempreendedor Individual (MEI), Micro Empresa (ME), Empresa de Pequeno Porte (EPP), profissionais liberais e autônomos que possuem alvará de funcionamento expedido pela prefeitura.

Querem, ainda, que os juros dos empréstimos seja de, no máximo, 4% ao ano, com carência para início de pagamento de 12 meses, subsídio de salários de empregados registrados, auxílio aluguel e isenção de Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), Imposto Sobre Serviços (ISS), taxas de fiscalização e de ocupação de mesas e cadeiras pelo prazo de duração do decreto municipal que institui a quarentena contra o novo coronavírus (Covid-19).

“A saúde sempre será prioridade e o objetivo não é forçar a reabertura do comércio, mas sim encontrar soluções para que no final da pandemia, as empresas não sejam obrigadas a decretar a falência, agravando ainda mais a retomada da economia na cidade”, aponta o documento.

Comissão

Os integrantes da comissão formada por quatro comerciantes se encontraram com a prefeita Gracinha, o secretário de Governo, Luiz Lobo e os vereadores Marquinhos Guti (presidente da Câmara), Valdir Veríssimo, Luizinho Paladino, e Gabriel Rocha.

Segundo a Prefeitura, o grupo se reuniu para tirar dúvidas e tomar ciência o Projeto de Lei que deve contemplar a classe com os pedidos pleiteados. O documento seguirá para aprovação da Câmara.

Conforme a prefeita, o projeto foi concluído agora porque o parecer do jurídico foi apresentado na quinta-feira, o que possibilitou a elaboração do atual projeto de lei.

Comentários

Tops da Gazeta