últimas notícias
Condomínio Trend Home, na Rua Emílio Ribas, onde o flagrante foi realizado.
Condomínio Trend Home, na Rua Emílio Ribas, onde o flagrante foi realizado.
Foto: Reprodução/Google Maps

Morador de condomínio é preso por tráfico de drogas via delivery em Santos

No celular do acusado, os policiais da Deic regional encontraram imagens dele segurando pilhas de dinheiro

Morador de um condomínio de classe média na Rua Emílio Ribas, 88, na Vila Mathias, um homem de 35 anos foi preso em flagrante na manhã desta sexta-feira (26) acusado de operar um esquema de tráfico de drogas via delivery. No apartamento dele, os policiais da 1ª Delegacia da Divisão Especializada de Investigações Criminais (Deic) regional apreenderam maconha, ecstasy, dinheiro, balança de precisão e outros materiais relacionados ao tráfico.

Uma caixa térmica usada para entrega de alimentos também foi apreendida e, segundo a polícia, era usada pelo acusado para tentar dissimular sua conduta no tráfico, já que ele fingia ser um entregador usando moto.

O flagrante foi resultado de uma investigação sobre um largo esquema de tráfico de drogas via deliverys em Santos. Os trabalhos são coordenados pelo delegado Luiz Ricardo de Lara Dias Júnior, titular da 1ª Delegacia, e Leonardo Amorim Nunes Rivau, assistente, bem como pelo investigador-chefe, Paulo Carvalhal.

Diante da coleta de uma série de indícios sobre o morador do condomínio Trend Home, os investigadores obtiveram mandado de busca e apreensão e foram até a porta do apartamento, por volta das 8h.

Como não obtiveram resposta e puderam ver uma sombra passando pelo vão entre o chão e a madeira, forçaram a entrada encontrando o acusado e uma mulher no apartamento.

Havia forte odor de maconha, segundo os policiais, que logo encontraram uma porção da droga sobre um balcão. Em buscas pelo imóvel cinco porções cortadas e preparadas para o tráfico foram encontradas na última gaveta do armário da cozinha.

Apreenderam ainda nesta gaveta uma faca, tesoura, rolo de papel filme e balança de precisão.

Mochila térmica

O acusado alegou trabalhar como entregador, mas, segundo assinala o delegado Rivau, “salta aos olhos o fato de esta mochila, embora aparentemente ter sido utilizada, inclusive com a tampa rachada, seu interior ainda está absolutamente branco, sem manchas, sem marcas, nem mesmo cheiro, como se nunca tivesse sido carregada com alimentos”.

Pilhas de dinheiro

Nas dependências da delegacia, com autorização judicial para acesso ao conteúdo do celular do detido, os investigadores constataram fotos e vídeos em que o homem exibe pilhas de dinheiro, além de ele exibir em outros arquivos um tijolo de maconha aberto.

Apesar de o acusado rotineiramente apagar as conversas, havia dois diálogos nos quais interlocutores negociam a compra de maconha com o acusado.

Comentários

Tops da Gazeta