X

Mundo

Bolsonaro pede ajuda de Biden para derrotar Lula, mas americano reage mal e dá invertida

O encontro se deu em meio à viagem do presidente brasileiro aos EUA para participar da Cúpula das Américas

FOLHAPRESS

Publicado em 12/06/2022 às 11:04

Atualizado em 12/06/2022 às 11:55

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Reuters/Kevin Lamarque/AB

O presidente Jair Bolsonaro (PL) pediu ajuda ao seu homônimo dos Estados Unidos, Joe Biden, para vencer o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) nas eleições presidenciais deste ano. O pedido foi feito durante uma reunião privada que os dois tiveram na última quinta-feira (9), segundo informações da agência Bloomberg, e o mandatário americano parece não ter reagido muito bem.

O encontro se deu em meio à viagem do presidente brasileiro aos EUA para participar da Cúpula das Américas, em Los Angeles.

De acordo com fontes anônimas citadas pela agência, Bolsonaro retratou Lula como um perigo para os interesses dos EUA. Biden, porém, falou sobre a importância de preservar a integridade eleitoral do Brasil e, ao receber o pedido de ajuda de seu par brasileiro, mudou o assunto da conversa, segundo o relato da Bloomberg, mostrando incômodo.

Procurados pela agência de notícias americana, nem o governo brasileiro e nem o americano comentaram a informação.

Pesquisas de opinião apontam Lula em primeiro lugar na corrida ao Palácio do Planalto, com maior ou menor vantagem, dependendo do instituto que fez a sondagem. Em alguns casos, os levantamentos mostram que existe a possibilidade de o petista liquidar a disputa ainda no primeiro turno.

Segundo a última pesquisa Datafolha para presidente, divulgada no mês passado, Lula tinha 21 pontos percentuais de vantagem sobre Bolsonaro, com 48% das intenções de voto. O atual presidente ficou com 27%.

Bolsonaro diz que "mudou" de opinião a respeito de Biden

Durante entrevista coletiva ontem, Bolsonaro disse que "mudou" de opinião a respeito de Biden, ao ser questionado a respeito dessa reunião privada. Ele afirmou ainda que o encontro serviu como uma espécie de "reaproximação" com o atual presidente dos EUA.

No entanto, o presidente brasileiro afirmou também que irá se encontrar com o ex-mandatário norte-americano Donald Trump antes das eleições no Brasil. "Conversei com ele essa semana e convidei como sempre. Ele quer, dois meses antes da eleição, encontrar comigo aqui ou lá", disse.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Fique atento

Cuidados essenciais para conjuntos de transmissão em motocicletas

Durante o processo de limpeza, utilizar pano ou escova com cerdas de plástico para remover sujeiras mais pesadas

JOGOS DO DIA

Palmeiras em campo neste sábado; veja onde assistir aos jogos do dia

Bola rola no Brasileirão Série A, B, C, D, Sub-20 e Copa Paulista

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter