X

EUA

Decisão no Colorado ainda não barra Trump das eleições em 2024; entenda

Os EUA não têm uma lei equivalente à Ficha Limpa, que impede no Brasil a candidatura de pessoas que foram condenadas por um órgão colegiado

Folhapress

Publicado em 19/12/2023 às 22:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Ex-Presidente dos EUA Donald Trump / Reprodução/GloboNews

A decisão da Suprema Corte do Colorado nesta terça-feira (19) ainda não impede Donald Trump de concorrer novamente à Casa Branca. Assim como o indiciamento do ex-presidente pelo escândalo da compra do silêncio de uma atriz pornô com quem supostamente teve um caso tampouco o faz.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Isso porque o que os juízes do Colorado decidiram vale apenas no âmbito estadual. Espera-se que Trump recorra à Suprema Corte dos EUA. Se os juízes da mais alta instância da Justiça americana mantiverem a decisão do Colorado, então o republicano veria ruir seu plano de voltar a despachar do Salão Oval como líder da nação.

Os EUA não têm uma lei equivalente à Ficha Limpa, que impede no Brasil a candidatura de pessoas que foram condenadas por um órgão colegiado (mais de um juiz), tiveram o mandato cassado ou renunciaram para evitar a cassação.

Em 1868, porém, três anos após a Guerra Civil Americana, a 14ª Emenda Constitucional foi aprovada proibindo que ocupe qualquer cargo civil ou militar em governos federal ou estadual quem "tiver se envolvido em uma insurreição ou rebelião" contra o governo.

É nesta emenda que a decisão do Colorado se baseia. O comitê da Câmara dos EUA que investigou o ataque ao Capitólio em 6 de janeiro de 2021 recomendou, em dezembro do ano passado, que o Departamento de Justiça indicie Trump, entre outras coisas, por "incitar, assistir ou auxiliar uma insurreição", e recomendou que ele seja proibido de ocupar cargos públicos com base na 14ª Emenda.

O comitê não tem poder para indiciar ou condenar o ex-presidente, mas a Suprema Corte, sim.
Por óbvio, é cedo para dizer em que direção se inclinarão os nove juízes. Mas novamente a maioria conservadora que Trump conseguiu formar no colegiado será posta à prova. Atualmente, seis dos nove membros da Suprema Corte são considerados conservadores.

Trump indicou três deles. Neil Gorsuch, em 2017; Brett Kavanaugh, em 2018; e Amy Coney Barrett, em 2020. A maioria conservadora foi o que permitiu, por exemplo, a reversão do entendimento que garantia às mulheres americanas o direito de acesso ao aborto legal.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mobilidade

Veja as principais e as futuras linhas do Metrô da Cidade de São Paulo

A Gazeta separou tudo o que você precisa saber sobre linhas do metrô atuais e as futuras que serão construídas; confira

sorte grande

Aposta de Itupeva, interior de SP, leva R$ 14 milhões pela Quina

O próximo sorteio será hoje e tem prêmio estimado em R$ 700 mil; veja o bairro da aposta que ganhou o último concurso

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter