Publicidade

X
ESCÂNDALO

Elon Musk é acusado de assédio e de pagar US$ 250 mil por silêncio à vítima

Ela acusou Musk de expor seu pênis ereto, passar a mão em sua perna sem consentimento

Publicidade

Elon Musk / Reprodução/Instagram

A SpaceX, empresa de transporte espacial de Elon Musk, pagou US$ 250 mil a uma comissária de bordo em 2018 em um acordo para encerrar uma acusação de assédio sexual contra o bilionário, segundo o site Business Insider.


A funcionária faria parte da tripulação da frota de jatos corporativos da SpaceX. Ela acusou Musk de expor seu pênis ereto, passar a mão em sua perna sem consentimento e oferecer-lhe um cavalo em troca de uma massagem erótica, diz a Business Insider, citando documentos e entrevistas.

Leia Também

• Elon Musk anuncia suspensão do acordo para comprar o Twitter

• Bolsonaro se prepara para encontro com Elon Musk em SP


Procurada pelo site, a comissária não quis comentar.


O caso teria ocorrido em 2016 e teria sido narrado em declaração assinada por uma pessoa próxima da comissária, que também teria compartilhado trocas de emails e outros registros sobre o acontecimento. A declaração teria sido elaborada em apoio à acusação da funcionária.


De acordo com a declaração, a comissária disse a essa pessoa próxima que foi incentivada a obter uma licença de massagista para poder oferecer o serviço a Musk. Durante uma das massagens, em uma cabine particular num jato do bilionário, Musk ofereceu um cavalo em troca de uma massagem erótica, afirma o site.


A Business Insider diz ter entrado em contato com Musk e recebido um email do bilionário com pedido de mais tempo para resposta. Além disso, o fundador da Tesla teria afirmado que há "muito mais nessa história".


"Se eu estivesse inclinado a me envolver em assédio sexual, é improvável que esta fosse a primeira vez em toda a minha carreira de 30 anos que isso venha à tona", escreveu ele, chamando a reportagem de uma uma tentativa de ataque motivada politicamente.


O site diz ter estendido o prazo e reiterou o pedido de comentários a Musk, mas não teria recebido mais respostas.
Em sua conta no Twitter, Musk classificou a alegação como "totalmente falsa" e politicamente motivada. Em seguida, o bilionário afirmou que "nada me impedirá de lutar por um futuro bom e pelo seu direito à livre expressão."


Já o vice-presidente jurídico da SpaceX, Christopher Cardaci, teria sido contatado pelo celular e dito que não iria comentar. A SpaceX não respondeu aos pedidos de comentários, diz a Business Insider.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Brasil

Saiba o que muda com a nova prova de vida do INSS

Comprovação deixa de ser presencial e baseia-se em cruzamento de dados

Saúde

Anvisa determina recolhimento do remédio 'Losartana', usado para tratar hipertensão

Produtos devem ser retirados das farmácias em até 120 dias

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software