X

PROCESSOU

Mãe processa Tiktok após morte de filha em "desafio do apagão"

O desafio, que estimula os desafiantes a tentarem segurar a respiração pela maior quantidade de tempo possível até eventual desmaio, acabou provocando diversas morte

Da Reportagem

Publicado em 17/05/2022 às 15:31

Atualizado em 17/05/2022 às 17:03

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A menina Nyla Anderson faleceu após tentar reproduzir "brincadeira" vista no Tiktok / Divulgação

Tawainna Anderson resolveu processar o Tiktok após sua filha Nyla Anderson, de 10 anos, morrer em dezembro do ano passado ao realizar o “desafio do apagão” (chamado em inglês de “blackout challenge” ou “choking game”). Segundo a mãe da menina, o Tiktok permitiu que o perigoso jogo se popularizasse na plataforma.

Anderson e seus advogados anunciaram que deram entrada no processo na última quinta-feira (12) na Filadélfia, de acordo com a 6ABC, rede local da cidade dos EUA. A garota morava com a família no condado de Delaware.

O desafio, que estimula os desafiantes a tentarem segurar a respiração pela maior quantidade de tempo possível até eventual desmaio, acabou provocando a morte de várias crianças e jovens ao redor do mundo.

“Chegou a hora desses desafios perigosos tenham um fim para que outras famílias não tenham que sofrer a mesma devastação que a nossa família sente todos os dias”, afirmou a mãe de Nyla, segundo a 6ABC.

O advogado da família afirmou que eles querem entender como o algoritmo do Tiktok funciona ao permitir que esses desafios cheguem a crianças, dando um fim a isso.

Em nota, a companhia afirmou que sempre fica atenta à segurança dos usuários e remove qualquer conteúdo relacionado a esse tipo de desafio. Além disso, afirmou que esse desafio é anterior até mesmo ao surgimento da plataforma de vídeos e que nunca foi um desafio específico do Tiktok, buscando isentar a empresa de qualquer responsabilidade.

Uma pesquisa realizada pelo Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) aponta que, no período entre 1995 e 2007, 82 morte foram atribuídas ao desafio ou estrangulamentos análogos.

As redes sociais, no entanto, acabaram por popularizá-lo. Entre 2000 e 2015, a própria CDC estima que mais de 1.400 crianças e adolescentes tenham morrido de forma acidental por asfixia ou estrangulamento acidental, mas não faz relação direta com o “jogo do apagão”.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Nasceu em julho ou agosto?

Caixa libera abono do PIS/PASEP para trabalhadores nascidos em julho e agosto

Governo deve liberar R$ 4,5 bilhões para os benefícios, sendo R$ 3,9 bilhões para o PIS e R$ 613 milhões para o PASEP

Delação Premiada

Caso Marielle: STF julga esta terça denúncia dos mandantes envolvidos no crime

Ministros vão decidir se os suspeitos se tornarão réus por homicídio e organização criminosa; acusados estão presos desde março

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter