X

SAÚDE

Uso diário de maconha supera o de álcool nos EUA

Houve um aumento de 15 vezes na taxa por habitante no consumo de maconha

Yasmin Gomes

Publicado em 24/05/2024 às 10:15

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

A pesquisa é realizada desde 1992 e em relação a 2022 houve um aumento de 15 vezes na taxa por habitante no consumo de maconha / Ahmed Zayan/Unsplash

Segundo a Pesquisa Nacional sobre Uso de Drogas e Saúde, referência na análise dos hábitos norte-americanos, publicada esta semana, o número de americanos que consome maconha quase diariamente ultrapassou o número dos que bebem álcool na mesma frequência.

Legalização e consumo

O levantamento mostra dados coletados em 2022, e é a primeira vez em que as pesquisas indicam um consumo maior da droga do que do álcool no país. Segundo especialistas, a mudança tem relação com a legalização, que tornou a erva mais acessível e fez o uso recreativo crescer nas últimas décadas.

O estudo é realizada desde 1992 e em relação a 2022 houve um aumento de 15 vezes na taxa por habitante no consumo de maconha. Na década de 90 eram 8,9 milhões de consumidores diários de álcool contra quase 1 milhão de usuários de maconha.

Os especialistas apontam que a alta pode estar relacionada a dois pontos:

  • Legalização: metade dos estados americanos permite a maconha medicinal ou recreativa. No país, 25 dos 50 estados legalizaram o uso medicinal e o recreativo da droga.
  • Aumento da autodeclaração: como deixou de ser ilegal em vários territórios do país, as pessoas se sentem menos inibidas em assumir o consumo, o que pode ter impulsionado os dados.

Apesar da alta, a pesquisa mostra que o consumo de álcool ainda é maior, de forma geral, mas não na mesma intensidade que a maconha.

  • 17,7 milhões de pessoas relataram consumir maconha diariamente ou quase diariamente
  • 14,7 milhões de pessoas que disseram beber todos os dias ou quase todos os dias.

Reclassificação da maconha nos EUA

A agência de combate às drogas dos Estados Unidos (DEA) publicou regras propostas, abertas a comentários, no Registro Federal dos EUA para reclassificar a maconha. A mudança não se trata de uma legalização da maconha para uso recreativo.

Atualmente, a maconha é classificada na mesma categoria da heroína e LSD. Com a mudança, a droga seria igualada a substâncias como anabolizantes e cetamina.

Nos EUA, os estados podem criar as próprias regras sobre o consumo da droga. Em metade deles, o uso recreativo e medicinal é liberado e nos demais varia entre liberações apenas medicinais ou nenhuma permissão para o uso.

Nessa nova categoria de classificação, a maconha ainda será uma substância controlada, com uso restrito por regulamentações. As pessoas que traficam ainda serão sujeitas a processos criminais na Justiça Federal.

*Texto sob supervisão de Diogo Mesquita

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Confusão em Clássico Paulista

Goleiro do Corinthians chama Luciano de 'otário' nas redes sociais

Carlos Miguel se envolve em polêmica após empate com o São Paulo e será desfalque na próxima partida contra o Internacional

SUSPEITO SEGUE FORAGIDO

Saiba quem é o empresário que atirou três vezes em veículo após briga de trânsito

Polícia Civil segue na busca de Adriano Domingues da Costa, suspeito de atirar em outro veículo após uma briga de trânsito na rodovia Castello Branco

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter