Publicidade

X

Mundo

Sol deve causar caos em 2024 e deixar o mundo sem internet e GPS

E não apenas a rede mundial de computadores seria afetada, mas também todos os serviços de comunicação e satélites

Jeferson Marques

Publicado em 21/11/2023 às 12:16

Atualizado em 21/11/2023 às 12:35

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Tempestade solar deve colapsar satélites e demais serviços de comunicação no mundo / Foto de picjumbo.com

Você já se imaginou viver sem internet? Sem conseguir acessar as plataformas de diversão, o Youtube, sem poder mandar mensagens no Whatsapp ou, ainda, sem conseguir fazer compras virtuais ou assistir à aulas EAD? Este cenário catastrófico está sendo previsto por dezenas de cientistas, que "culpam" a atividade solar pelo colapso que enfrentaremos em 2024, que ainda afetará, também, todos os serviços de comunicação.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Cientistas que estudam a atividade solar estão alertando que entre 2024 e 2025 além da internet, serviços de comunicação como um todo e até GPS ficarão fora do ar por meses. A rede elétrica também deve ser afetada, com apagões constantes e muita instabilidade.

O cientista alemão e professor universitário Peter Becker explica que as tempestades solares serão mais frequentes a partir de 2024. Com isso, bilhões de partículas de massa coronal (matéria da coroa, parte do sol que está na área externa da atmosfera solar e que libera gás ionizado à altas temperatuas) serão lançadas à Terra, atingindo seu campo magnético e, inevitavelmente, afetando todo o sistema de comunicação criado pelo homem.

"A internet atingiu a maioridade durante uma época em que o Sol estava relativamente calmo. Agora, ele está entrando em uma época mais ativa", explica Becker.

Ele acrescenta que essas variações do campo magnética da Terra ocasionadas por essa massa coronal farão uma espécie de "fritura" nos sistemas de comunicação e satélites do mundo, o que explica a onda de apagões e de colapsos que muito provavelmente viveremos em 2024 e 2025.

Becker e uma equipe de profissionais da Universidade de George Mason, na Virgínia, Estados Unidos, estão estudando formas de minimizar este impacto ou de antecipar sua ocorrência, para que todo o planeta se prepare para o "caos" semanas antes.

"Há coisas que podem ser feitas para mitigar o problema, e o alerta é um deles. No longo prazo, falamos sobre fortalecimento da internet. O projeto funcionaria como uma apólice de seguro. Você pode nunca precisar, mas ela custaria trilhões", finalizou.

E você, o que pensa sobre isso?

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CASOS EM ALTA

Dengue: grávidas e bebês podem usar repelentes?

Na busca por proteção, a procura por repelentes aumentou nas farmácias de todo o País; dermatologista orienta sobre o uso

DRAMA ALVINEGRO

Corinthians perde para a Ponte Preta em Itaquera e vê vaga se distanciar

Iago Dias abriu o placar aos cinco minutos para a Ponte Preta; Corinthians finaliza 26 vezes, mas não consegue balançar as redes

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter