X

IMUNIZAÇÃO E SAÚDE

Vacinação pode levar até 8 anos para reduzir transmissão da dengue

Para o diretor-geral, a vacina em dose única, pode contribuir positivamente em cenários de transmissão acelerada da doença

Yasmin Gomes

Publicado em 29/03/2024 às 13:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

O Brasil, neste momento, segundo ele, é o país do continente que mais conta com doses disponíveis para a população / Divulgação/Fiocruz

Nesta quinta-feira (28), o diretor-geral da Organização Pan-americana da Saúde (Opas), Jarbas Barbosa, disse que a estratégia de vacinação para combater a dengue pode levar até oito anos para reduzir efetivamente a transmissão da doença em meio a epidemias como a enfrentada atualmente nas Américas.

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

“É importante ressaltar que a vacina que está disponível é uma vacina de duas doses e que precisa de três meses entre uma dose e outra. Ou seja, a vacina não é uma ferramenta para controlar a transmissão neste momento”, detalhou.

Em entrevista à imprensa, Jarbas lembrou que o laboratório japonês Tateka, responsável pela produção da vacina Qdenga, possui capacidade limitada de fabricação de doses. O Brasil, neste momento, segundo ele, é o país do continente que mais conta com doses disponíveis para a população em termos absolutos.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

O diretor-geral destacou que, por se tratar de uma vacina recém-aprovada por agências de vigilância sanitária, é importante que os sistemas de saúde nas Américas monitorem o cenário.

Dados de eficácia da vacina para o sorotipo 3 da dengue, segundo ele, são limitados por terem sido levantados em um período em que quase não havia circulação do sorotipo.

Jarbas também comentou os avanços da vacina contra a dengue desenvolvida pelo Instituto Butantan, que se encontra na fase 3 de estudos clínicos. O texto conta com informações da "Agência Brasil."

Para o diretor-geral, a vacina, em dose única, pode contribuir positivamente em cenários de transmissão acelerada da doença. “Mas, provavelmente, só estará disponível em 2025”.

*Texto sob supervisão de Matheus Herbert

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mobilidade

Veja as principais e as futuras linhas do Metrô da Cidade de São Paulo

A Gazeta separou tudo o que você precisa saber sobre linhas do metrô atuais e as futuras que serão construídas; confira

sorte grande

Aposta de Itupeva, interior de SP, leva R$ 14 milhões pela Quina

O próximo sorteio será hoje e tem prêmio estimado em R$ 700 mil; veja o bairro da aposta que ganhou o último concurso

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter