X

Religião

Cônego Humberto Ghizzi: Nosso Patrimônio Espiritual

A vocação sacerdotal de Ghizzi desabrochou em tenra idade, quando era coroinha em Itararé, na oportunidade em que sua família recebeu a visita do Bispo Diocesano

Reinaldo Crocco Júnior

Publicado em 20/05/2022 às 14:37

Atualizado em 20/05/2022 às 14:49

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Cônego Humberto Ghizzi / Foto: Gijo Ospedal

O Cônego Humberto Ghizzi nasceu na cidade paulista de Itararé no dia 28 de outubro de 1917, filho do casal Henrique Ghizzi e Maria Ida Guzzone Ghizzi.  Iniciou seus estudos na Escola Tomé Teixeira em sua cidade natal e, posteriormente, transferiu-se para Botucatu onde completou o antigo curso ginasial. Ingressou no Seminário Central do Ipiranga na cidade de São Paulo, onde concluiu os cursos de Filosofia e Teologia, estudando, inclusive, na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Mogi das Cruzes.

Aos 8 de dezembro de 1943 foi ordenado sacerdote pelo Bispo Diocesano Dom José Carlos de Aguirre, em cerimônia realizada na Catedral Metropolitana de Sorocaba, tornando-se o primeiro sacerdote itarareense. A vocação sacerdotal de Humberto Ghizzi desabrochou em tenra idade, quando era coroinha em Itararé, na oportunidade em que sua família recebeu a visita do Bispo Diocesano.

Nesse dia, enquanto engraxava os sapatos do Prelado, ouviu dele a pergunta se queria ser sacerdote, respondendo afirmativamente com muito entusiasmo!  No dia seguinte e com apenas 13 (treze) anos de idade o então garoto Humberto Ghizzi deixou de lado seu estilingue, as bolinhas de gude, o pião, seus amiguinhos, sua família, e partiu corajosamente para enfrentar uma vida desconhecida, para só retornar definitivamente às origens em 1984, depois de passar 30 (trinta) anos como responsável pela Paróquia de Nossa Senhora Mãe dos Homens em Porto Feliz.

O Cônego Humberto Ghizzi também exerceu seu sacerdócio em Tatuí, São Miguel Arcanjo e no Seminário Diocesano de Sorocaba. Em Porto Feliz promoveu a reforma da Igreja Matriz, patrimônio histórico, artístico e cultural desta cidade; foi um dos grandes incentivadores da Cidade dos Velhinhos; integrou a Diretoria da Santa Casa de Misericórdia e foi Presidente da Junta Disciplinar Desportiva da Liga Porto-Felicense de Futebol.

O digno sacerdote também era apreciador do esporte-rei e fervoroso torcedor do São Paulo Futebol Clube. O Cônego Humberto Ghizzi dedicou exatos 42 (quarenta e dois) anos da sua vida a serviço de Deus, dos quais 30 (trinta) anos especialmente à população de Porto Feliz, constituindo-se em verdadeiro patrimônio espiritual desta cidade.  Seu apostolado sempre eficiente e cristão, seu espírito de justiça, sua firmeza e discernimento, sua bravura e coragem cristã, eram virtudes sedimentadas na sua vasta humildade.

Por mais de 30 (trinta) anos como responsável direto pelos problemas espirituais e materiais da Paróquia de Nossa Senhora Mãe dos Homens de Porto Feliz, o Cônego Ghizzi trabalhou, na maior parte desse tempo, absolutamente sozinho, sem coadjuvantes. Suas missas eram serenas e seus sermões sem arroubos verbais cativavam a todos. Quando lhe era permitido um período de férias o Cônego Humberto Ghizzi não deixava de fazer suas pescarias em Mato Grosso.

Na foto que ilustra esta postagem vemos o ilustre sacerdote em um dos seus momentos felizes ao lado de um jaú pintado, também conhecido como jundiá-da-lagoa ou peixe-gato gigante, com mais de um metro e meio de comprimento. O saudoso sacerdote faleceu na cidade de Itararé, há alguns anos, em data que não nos foi possível levantar. O nome do insigne e saudoso Cônego Humberto Ghizzi está perpetuado em uma via pública do Jardim Tendá, nesta cidade, como homenagem de reconhecimento e gratidão das autoridades e do povo de Porto Feliz. Salve Terra das Monções / Tua gente varonil / Honrará tuas tradições / E a grandeza do Brasil.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Lançamento

Nova geração da XRE 300 chega as concessionárias em agosto; confira

Depois de um hiato de 15 anos, a Tornado voltará ao mercado unindo a essência clássica que a tornou famosa às tecnologias modernas

NOVA AMAROK

Novo carro da Volkswagen chega no Brasil em agosto; saiba qual

Modelo ficou na sexta posição em ranking de picapes médias

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter