Publicidade

X

Capital

Covas volta de Berlim e decreta emergência

APÓS ENCHENTES. 13 pessoas morreram devido aos efeitos da chuva que caiu na Grande São Paulo no domingo e segunda

Bruno Hoffmann

Publicado em 13/03/2019 às 01:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Em entrevista, Covas afirmou que os bairros do Ipiranga e da Vila Prudente farão parte do decreto / /Paulo Guereta/Photo Premium/Folhapress

De volta ao cargo de prefeito nesta terça-feira após viagem à cidade de Berlim, na Alemanha, o prefeito Bruno Covas (PSDB) disse que vai declarar situação de emergência nas regiões mais atingidas pelas chuvas dos últimos dias na cidade. Criticado por estar em viagem durante os transtornos, Covas também disse que a intensidade da chuva não era previsível.

Ao todo, 13 pessoas morreram devido aos efeitos da chuva que caiu na Grande São Paulo da noite de domingo ao amanhecer desta segunda.

Covas afirmou que os bairros do Ipiranga e da Vila Prudente farão parte do decreto, que deverá ser publicado nesta quarta no Diário Oficial do município, mas outras áreas também serão abarcadas.

Ao declarar situação de emergência, a prefeitura dará a possibilidade de que as pessoas saquem quantias de até R$ 6.220 do FGTS, de acordo com lei federal.

Além disso, Covas declarou que solicitará ao governador João Doria (PSDB) a isenção da cobrança das contas de água das pessoas atingidas. Além disso, também manifestou intenção de criar linha de crédito específica para as pessoas atingidas pelo temporal.

Para o prefeito, não houve falta de ação preventiva por parte do poder público. Levantamento da "Folha" indica que São Paulo gasta menos da metade do seu orçamento com prevenção de cheias.

"Já entregamos, desde janeiro de 2017, três piscinões. Vamos entregar até dezembro de 2020 mais cinco. Estamos em fase de elaboração de projeto executivo de mais três. E estamos em fase de licitação do projeto executivo de mais seis", disse Covas.

"Ainda assim, a quantidade de chuva que tivemos, mesmo que todos os piscinões previstos estivessem prontos, muito provavelmente a gente teria o problema que a gente teve", completou. A prefeitura estima que até 1.300 famílias tenham sido atingidas pelos efeitos do temporal.

Criticado por estar em viagem pessoal no período em que as chuvas devastaram São Paulo, Covas disse que estava em Berlim, na Alemanha, tratando de "assuntos particulares". O tucano disse que o nível de chuvas dos últimos dias não era previsível. Segundo ele, caso fosse possível prever, não teria viajado.

"A cidade de São Paulo, se você me disser em que período do ano não tem problema, eu até poderia me concentrar mais nesse período. No ano passado, em maio, caiu prédio. Em junho, a cidade ficou sem gasolina. Em novembro, caiu viaduto. Uma cidade do tamanho e da proporção de São Paulo sempre vai ter alguma coisa acontecendo. Claro que, mesmo assim, em uma ocorrência como a de ontem, embora não fosse previsível, ainda assim, realmente, não se justifica estar fora da cidade. Se fosse possível prever, certamente eu não estaria", disse Covas, em coletiva de imprensa, nesta terça. (FP)

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

EVENTO EM TABÕAO DA SERRA

15ª Corrida do Trabalhador fecha inscrições no fim de abril em Taboão da Serra

Inscrições ficarão abertas até o dia 28 de abril; corrida acontecerá no dia 1° de maio

ELEIÇÕES 2024

Nunes vence Boulos e Tabata em eventual 2º turno, revela Badra

Pesquisa mostra que atual prefeito venceria tanto Boulos quanto Tabata em um eventual segundo turno na Capital

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter