X

Doces lembranças

Nossos Quituteiros: Nhô Belo e Dona Gabriela

O saudoso e ilustre casal, provavelmente filhos de escravos, residia em uma casa humilde localizada na Rua José Bonifácio, em Porto Feliz

Reinaldo Crocco Júnior

Publicado em 10/06/2022 às 14:19

Atualizado em 10/06/2022 às 14:45

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Nhô Belo ao lado do seu inseparável e sempre concorrido tabuleiro de doces / Acervo do Professor Roberto Prestes de Souza

A foto que ilustra esta postagem mostra o saudoso Nhô Belo ao lado do seu inseparável e sempre concorrido tabuleiro de doces!  Nhô Belo foi, sem dúvida, o doceiro mais famoso de Porto Feliz nos belos e saudosos tempos de outrora! Nhô Belo era casado com Dona Gabriela, conhecida em todos os recantos desta cidade por ser uma excelente quituteira!

O saudoso e ilustre casal, provavelmente filhos de escravos, residia em uma casa humilde localizada na Rua José Bonifácio, nas proximidades do local onde atualmente se encontra a Loja Vado Esportes.  A casa de residência dos famosos quituteiros tinha um pequeno portão de entrada e uma escadaria de acesso, em cujo topo Nhô Belo costumava instalar o tabuleiro de doces para atender sua vasta clientela.

As guloseimas preparadas pelo saudoso casal, fossem salgadas ou doces, faziam sucesso pelos quatro cantos da nossa cidade. Homem modesto, religioso e de fino trato, Nhô Belo também costumava vender seus deliciosos doces na Praça da Matriz, hoje Praça Dr. José Sacramento e Silva, onde, aos domingos, instalava seu tabuleiro e atendia à imensa clientela.

As pessoas que iam assistir à missa na Igreja de Nossa Senhora Mãe dos Homens, jamais perdiam a oportunidade de, ao término do ofício religioso, visitar o tabuleiro do saudoso Nhô Belo.  Seus doces tinham um incomparável sabor de festa, que decorria não só da excelência culinária dos confeiteiros, mas principalmente do amor e carinho com que eram produzidos.

O mesmo se pode dizer em relação aos quitutes preparados por Dona Gabriela, muito procurados especialmente pelas donas de casa.  Na década de 1960, por ocasião dos jogos da Associação Atlética Porto-Felicense pelo campeonato paulista da segunda divisão de profissionais, era muito comum encontrar o sempre querido Nhô Belo, com seu tabuleiro instalado em um canto especial e concorrido do Estádio Dr. Julien Fouque, onde vendia os seus doces!

As guloseimas mais procuradas entre as produzidas por Nhô Belo e dona Gabriela, eram a queijadinha, o doce de batata, o doce de abóbora, a cocada e o creme!   Por longos anos Nhô Belo e Dona Gabriela produziram doces e salgados para os mais finos paladares de Porto Feliz.

Seus quitutes eram entregues nas residências de importantes e tradicionais famílias desta cidade, incluindo os domicílios dos franceses que administravam a Usina de Açúcar e Álcool na época áurea da extinta Societé de Sucréries Brésiliennes! O saudoso Desembargador Dr. José Gonçalves de Santana, que também era um notável Poeta, costumeiramente presenteava os seus colegas do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo com as iguarias feitas pelos nossos ilustres quituteiros!

Inegavelmente os doces e salgados produzidos por Nhô Belo e sua esposa dona Gabriela até hoje são lembrados como um verdadeiro “Manjar dos Deuses” por todos aqueles que tiveram o privilégio de saboreá-los! Salve Terra das Monções / Tua gente varonil / Honrará tuas tradições / E a grandeza do Brasil! 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

JOGOS DO DIA

Palmeiras em campo neste sábado; veja onde assistir aos jogos do dia

Bola rola no Brasileirão Série A, B, C, D, Sub-20 e Copa Paulista

ZONA SUL

Homem não consegue furtar e taca fogo em loja da Oxxo em SP

Suspeito teria confessado o crime e dito que já havia incendiado uma outra unidade da mesma rede

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter