Publicidade

X

Capital

Tom Maior canta a filosofia em busca do 1º título

CARNAVAL 2019. Escola vai levar ao Sambódromo o enredo "Penso Logo Existo", sobre as grandes questões da humanidade

Bruno Hoffmann

Publicado em 16/02/2019 às 01:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Jura, diretor de Carnaval, está em busca de título inédito à escola / /HENRIQUE BARRETO/FUTURA PRESS

A Tom Maior conquistou a sua melhor posição no Grupo Especial do Carnaval paulistano ao chegar empatada em número de pontos com outras três agremiações em 2018 e, por critérios de desempate, ficar atrás de Mancha Verde, da Mocidade Alegre e da campeã Acadêmicos do Tatuapé. A diretoria e a comunidade apostam que este ano o resultado pode ser ainda melhor. Quem sabe, chegar ao título inédito. Para isso, a escola da zona norte vai levar ao Sambódromo do Anhembi o enredo "Penso logo existo - As interrogações do nosso imaginário em busca do
inimaginável".

A Gazeta foi à quadra da Tom Maior, no bairro do Piqueri, às margens da Marginal do Tietê. A barulheira vinda dos carros e caminhões desaparece ao entrar na quadra em uma noite de ensaio da bateria.

A escola está há apenas dois anos no local. Foi fundada no bairro do Sumaré, na zona oeste, em 1972, e passou por Pinheiros, Vila Madalena, Sumarezinho, Cerqueira César, Bom Retiro, até, enfim, chegar à zona norte.

"Embora a Tom Maior tenha a característica, por necessidade, de mudar de bairro, a sua comunidade é fiel e a segue aonde ela for. Há uma comunidade que acompanha a Tom Maior desde o seu nascimento em 1972, no Sumaré", explica o diretor de Carnaval Jurandir Motta, conhecido como Jura.

O diretor começou a se envolver com os desfiles carnavalescos em 1973, um ano após o nascimento da Tom Maior, na bateria-mirim da Camisa Verde e Branco. Ele permaneceu na Camisa Verde até 2006, quando recebeu um convite da presidente Luciana Silva para integrar a Tom Maior. A escola havia passado por uma reorganização após momentos não muito bons. A presidente resolveu buscar novamente a "identidade da escola", ligada intimamente a grandes sambistas paulistanos. Já em seu primeiro Carnaval pela escola, Jura conquistou a segunda colocação. Agora, ele tem sonhos maiores.

"A identidade voltou porque a Tom Maior sempre foi uma escola de sambista, uma escola que soube fazer Carnaval. Num determinado momento passou por um percalço, mas a escola se reestruturou e se reorganizou. Nós temos um objetivo, um planejamento estratégico, e nós vamos conquistá-lo". O planejamento estratégico, em outras palavras, é o de buscar o título em 2019.

Jura promete mostrar que estar entre as primeiras no ano passado não foi uma obra do acaso. "Foi algo muito gratificante [estar entre as primeiras em 2018] e estamos cada vez mais empenhados em mostrar que não foi sorte. Foi trabalho. Estamos trabalhando cinco vezes mais, degrau por degrau, tijolo por tijolo, com um pé no chão inigualável, para a gente mostrar o que sabe fazer: Carnaval. Nós temos o objetivo de fazer o melhor Carnaval da nossa história".

ENREDO.

O enredo da Tom Maior em 2019 tem um teor filosófico, religioso e científico: "Penso logo existo - As interrogações do nosso imaginário em busca do inimaginável". O tema é assinado pelo carnavalesco André Marins.

"Houve, durante a história da humanidade, uma série de questionamentos, desde Adão e Eva passando pelas perguntas dos cientistas ao longo dos séculos. A questão categórica é: existe vida após a morte? Essa é a pergunta mais enigmática do ser humano", explica Jura.

De acordo com a nota oficial da escola em relação ao enredo, "se todas as respostas levam a novas perguntas, a conclusão só pode ser uma: nunca acabarão as questões. O homem seguirá, aqui e no além, se questionando e alimentando sua imaginação".

A agremiação levará 2.400 integrantes ao desfile no Sambódromo do Anhembi em 1º de março, na sexta-feira. Pessoas que, certamente, cantarão alto o refrão do samba-enredo da escola vermelha e amarela: "Destino traçado na palma da mão / Nas cartas do tarô, mais uma previsão / O brilho da Lua a noite revela / Tem sorte quem nasce virado pra ela".

Mas a escola acredita que a melhor forma de conquistar o que se quer é com organização e trabalho. Assim, enfim, a sorte pode sorrir de vez para a Tom Maior. (Bruno Hoffmann)

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

VIAGENS E PREPARATIVOS

Veja 9 países onde o brasileiro não precisa de passaporte

Pessoas portadora do RG (Registro Geral) podem usar ele para entrar em países sem a necessidade do passaporte; confira lista

ÁGUA NA BOCA

Não sabe qual sobremesa fazer na Páscoa? confira 4 receitas fáceis de fazer

Cozinheiro deu 4 dicas de receitas de sobremesas para fazer no domingo de Páscoa; confira nesta reportagem da Gazeta

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter