últimas notícias
No caso de pessoas que já tenham asma ou rinite, é muito importante mantê-las sob controle
No caso de pessoas que já tenham asma ou rinite, é muito importante mantê-las sob controle
Foto: Divulgação

Inverno aumenta riscos de doenças alérgicas

No inverno, com o ar mais seco, a incidência de outras doenças, como asma, rinite e sinusite é maior e seus sintomas podem se confundir com os da Covid-19

A luz amarela se acende quando começamos a tossir ou espirrar, e não é para menos. Com a pandemia, associamos esses sinais aos do coronavírus. Ainda mais nessa época do ano, quando outras doenças como a asma, rinite e sinusite são mais comuns – e a confusão é quase automática.

“A Covid-19 e as alergias respiratórias têm sintomas similares, como a coriza, os espirros, tosse, que pode confundir uma doença com a outra. Mas na Covid-19 há a febre, diarreia e dores no corpo, que não fazem parte de crises de rinite, nem de asma”, explica o médico Pedro Francisco Giavina Bianchi Jr., presidente da Regional São Paulo da Asbai (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia).

No caso de pessoas que já tenham asma ou rinite, é muito importante mantê-las sob controle, para evitar que crises graves as levem ao pronto-socorro – e assim, correr mais riscos de se contaminar pelo coronavírus. Mas como saber quando é uma ou outra doença?

Bianchi explica que a asma e a rinite, na grande maioria dos casos, têm fundo alérgico que, na maior parte das vezes, têm origem genética. Em pessoas não-alérgicas, a exposição do corpo a pelos de animais, ácaros, pólen, mofo, por exemplo, não causa grandes estragos. Mas para um alérgico, isso é como se fosse uma invasão por micro-organismos perigosíssimos – e aí aparecem as reações que se manifestam de diferentes formas.

ASMA

A asma é uma reação inflamatória dessa defesa exagerada que chega a fechar as vias aéreas.

“São quatro os sintomas principais: aperto no tórax, chiado no peito, tosse e falta de ar”, explica Bianchi. E é uma doença que deve ser levada a sério: segundo o médico, 10% da população tem asma, e entre cinco e sete pessoas morrem no Brasil todos os dias por conta dos seus sintomas. Uma característica da asma é que ela geralmente começa na infância, no máximo no início da fase adulta, e as crises tendem a diminuir conforme a pessoa fica mais velha. Mas, se não tratada devidamente, elas aparecem – e podem ser graves.

RINITE

A rinite, embora também seja desencadeada por reações alérgicas, afeta basicamente o nariz. “É uma forma mais leve de alergia respiratória, e tem quatro sintomas principais: coceira, espirros, nariz congestionado e a coriza”. Tanto a asma quanto a rinite são doenças crônicas, com tratamentos específicos para mantê-la sob controle. “Não é porque não tem cura que não tem o que fazer. Temos que aprender a conviver e tratar da melhor maneira possível, para não ficar grave”, diz o médico.

SINUSITE

Já a sinusite é uma inflamação dos seios nasais, que são espaços dentro dos ossos do crânio e da face, com a função de umedecer e aquecer o ar que entra pelo nariz. “Na sinusite, esses espaços ficam cheios de secreção e o ar não tem para onde ir”. Os sintomas mais comuns são dor de cabeça, nariz escorrendo e congestionado, tosse e coriza. Nesse caso, o tratamento resolve os sintomas, mas, se a sinusite for recorrente, é importante investigar a causa com um profissional da área de saúde. De qualquer forma, os cuidados com a higiene e com as alergias já ajudam muito na prevenção das crises alérgicas – e evitam também que o coronavírus dê as caras.

BRONQUITE X ASMA

Já ouvimos falar muito de bronquite, cujos sintomas são os mesmos da asma - e na verdade, é a mesma coisa. Segundo o médico Pedro Francisco Giavina Bianchi Jr., a população tende a achar que a bronquite é menos grave que a asma, mas o que existe são crises mais brandas e sérias da mesma doença. "A bronquite que existe é a que aparece em pessoas que fumam por muito tempo, que apresentam uma tosse crônica", adverte Bianchi.

TODO CUIDADO É POUCO

Quando o inverno chega, o combo frio, ar seco e poluição fazem estrago em quem tem alergias respiratórias. Afinal, como o ar precisa chegar limpo, úmido e aquecido aos pulmões, o clima não costuma ajudar nessa época - é quando as crises alérgicas aparecem e dão trabalho. Veja quais são os sintomas das principais doenças alérgicas respiratórias que dão as caras nesta estação:

• Asma

- Aperto no tórax

- Chiado no peito

- Tosse

- Falta de ar

• Rinite

- Nariz congestionado e coçando

- Espirros em série

- Coriza

Comentários

Tops da Gazeta