últimas notícias
O Novembro Azul não é somente pra detectar câncer de próstata
O Novembro Azul não é somente pra detectar câncer de próstata
Foto: Divulgação

Para que o Novembro seja Azul

Manter a vigilância é fundamental para detectar o câncer de próstata que, detectado cedo, tem grandes chances de cura – é quando campanhas como o Novembro Azul lembram a importância dos exames anuais

O câncer de próstata tem uma característica que o faz perigoso: ele não tem sintomas. Quando aparecem, já estão em estado avançado, o que dificulta o tratamento e a expectativa de vida. Assim, quando se fala em Novembro Azul, lembra-se muito da importância de se consultar com um urologista para a realização de exames, que podem detectar a doença ainda em estágio inicial – e começar o tratamento o quanto antes.

Mas 2020 é um ano diferente dos demais. Hospitais e profissionais de saúde de várias áreas foram deslocados para reforçar o atendimento de pacientes com Covid-19 – e isso teve um impacto grande na realização dos exames preventivos. “O Instituto Nacional de Câncer faz uma previsão de novos casos de câncer de próstata no ano. Para 2020, a expectativa era de 65 mil novos casos deste câncer de próstata. Se imaginarmos que tivemos sete meses de pandemia, 30 mil casos deixaram de ser diagnosticados nesse período”, afirma o urologista Geraldo Faria, presidente da Sociedade Brasileira de Urologia – São Paulo (SBU-SP).

E quanto mais cedo se descobre a doença, a probabilidade de cura é muito grande. “Mais de 90% dos homens que fazem o diagnóstico precoce do câncer ficam curados da doença”, diz. E o motivo do cuidado é simples: o câncer de próstata é silencioso. “Não tem manifestações clínicas, e ele só vai apresentar manifestações urinárias ou gerais quando está muito avançado. As células malignas têm uma predisposição a se implantar na parte óssea, e as primeiras queixas são dores ósseas, na bacia e principalmente na coluna. Quantas vezes atendemos pacientes que tinham procurado ortopedista porque apresentaram dor na coluna, e na realidade aquilo era uma metástase [quando o tumor se espalha para outras áreas do corpo] do câncer de próstata”.

Uma vez detectado, o urologista decide o tipo de tratamento baseado na gravidade do tumor. Nos casos mais simples, o paciente é acompanhado de perto pelo médico, sem a necessidade de nenhuma intervenção. Em outras ocasiões, cirurgias de retirada total da próstata são mais recomendadas e, por fim, quando a doença se espalhou para outros órgãos, além da cirurgia, medicamentos podem entrar na lista de tratamentos para evitar que células do tumor se multipliquem, o que prolonga a vida do paciente.

O primeiro passo para fazer o rastreamento da doença é realizar, anualmente, os exames preventivos: a partir dos 50 anos (a idade baixa para 45 se o indivíduo for obeso, afrodescendente ou tiver histórico de câncer de próstata na família). São dois os procedimentos que ajudam o médico a detectar o câncer, o de sangue e o de toque retal – este último ainda é rodeado de preconceitos e resistências que, segundo Faria, vem diminuindo ao longo dos anos.

“Temos visto que homens mais jovens, entre 45 e 50 anos, vêm procurar o médico, são bem informados e não têm esse preconceito. A dificuldade maior é com indivíduos em idades mais avançadas, nos seus 65 anos, que nunca fizeram um exame, e têm grande constrangimento em fazer. Precisamos falar do tema, falar sobre o problema, e da importância do diagnóstico precoce”, completa – porque cuidar da saúde também é coisa de homem.

Macaque in the trees
Arte: Gazeta de S.Paulo

Por que aparece o câncer?

A próstata produz, junto com as vesículas seminais, um líquido que entra na composição do esperma, o líquido que envolve os espermatozoides. E ela é bastante ativa enquanto o homem está na sua fase reprodutiva - não é coincidência que o câncer apareça em grande parte dos pacientes depois dos 50 anos. "A próstata serve para o homem até o fim da sua idade reprodutiva, depois ela só atrapalha", brinca o urologista Geraldo Faria. Desta forma, fazer os exames de acompanhamento todos os anos a partir dessa idade mostram a quantas anda a saúde da próstata - e a do homem como um todo.

A próstata produz, junto com as vesículas seminais, um líquido que entra na composição do esperma, o líquido que envolve os espermatozoides. E ela é bastante ativa enquanto o homem está na sua fase reprodutiva - não é coincidência que o câncer apareça em grande parte dos pacientes depois dos 50 anos. "A próstata serve para o homem até o fim da sua idade reprodutiva, depois ela só atrapalha", brinca o urologista Geraldo Faria. Desta forma, fazer os exames de acompanhamento todos os anos a partir dessa idade mostram a quantas anda a saúde da próstata - e a do homem como um todo.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta