últimas notícias
A maior parte dos casos de infecção urinária é causada pela bactéria Escherichia coli, que é encontrada no intestino
A maior parte dos casos de infecção urinária é causada pela bactéria Escherichia coli, que é encontrada no intestino
Foto: jcomp/freepik

Infecção urinária aparece com mais frequência no verão

É no verão que ela costuma dar as caras com mais frequência, mas ela aparece também em outras épocas do ano, e acomete mais as mulheres

Os sintomas são conhecidos, especialmente das pacientes: uma dor no baixo ventre, conforme vai enchendo a bexiga, ardência na hora de urinar, e um odor forte na urina. E é nas temperaturas altas do verão que ela aparece com mais frequência, e uma das possíveis causas é justamente a diminuição na ingestão de água.

“No verão, eventualmente a pessoa transpira mais, perde líquido por outras formas e produz menos urina. O que precisa fazer é beber mais líquidos para aumentar a produção de urina e diminuir a recorrência das infecções”, ensina o urologista Fernando Almeida, da Sociedade Brasileira de Urologia – São Paulo (SBU-SP).

A recomendação é simples, mas é muito útil. A infecção é geralmente causada por uma bactéria, que entra no canal da urina e vai em direção à bexiga. “A bactéria está tentando subir pelo canal da urina, e você vai ao banheiro fazer xixi. Quando você urina em grande quantidade, com um jato forte, você lava as bactérias que estavam tentando entrar. É como lavar folhas no chão uma mangueira”, explica.

Ela acomete mais as mulheres, por um detalhe anatômico: a uretra, que é o canal urinário, na mulher é mais curto do que no homem – assim fica fácil para a bactéria chegar à bexiga. E há um grupo de mulheres que têm infecções urinárias com frequência, mais de três vezes ao ano. “Esses casos foram estudados e foi descoberto que elas têm uns fatores de risco intrínsecos, como própria anatomia uretral e vaginal, que favorecem a infecção. E acredita-se que elas tenham um componente genético que facilita a aderência bacteriana”, conta. Nesses casos, os médicos recomendam, além do maior consumo de líquidos, alguns medicamentos específicos.

Conhecida como cistite, a infecção urinária não é grave, mas é bastante incômoda. Por atrapalhar bastante os pacientes na hora de urinar, isso acende a luz amarela para procurar ajuda médica – além de resolver o problema rapidamente, evita complicações que são bem mais graves. “Há dois tipos de infecção urinária, a baixa, quando afeta só a bexiga, e a alta, quando chega até o rim. Quando chega no rim, chamamos de pielonefrite, uma infecção grave, pode levar à sepse [infecção generalizada], e até a óbito. Às vezes a pessoa tem sintomas de infecção urinária leve e não percebe, dando chance para a bactéria chegar até no rim”, adverte.

Embora raros, os casos de infecção urinária também atingem os homens, mas, diferente das mulheres, é um indicativo de outros problemas. “Já suspeitamos do aumento da próstata. Como o homem não consegue urinar direito, o jato de urina não tem pressão e a bactéria vai conseguindo subir até a bexiga”, explica.

Por isso a dica de tomar mais líquidos, especialmente no verão, se faz necessária, e não há uma quantidade fixa de quanto se deve beber por dia. “Depende do clima, se estiver fazendo atividade física, da umidade do ar, se está quente, frio, seco, úmido...há dias que precisa beber três litros, tem dias que um é suficiente. Eu recomendo olhar a cor da urina. Se ela estiver mais amarelada, significa que está ingerindo pouco liquido, e precisa beber bastante água. Caso a urina estiver clarinha, quer dizer que você já está tomando a quantidade correta”, completa.

Macaque in the trees
Arte: Gazeta de S. Paulo
 

Quanto antes, melhor

A maior parte dos casos de infecção urinária é causada pela bactéria Escherichia coli, que é encontrada no intestino. Ao entrar na uretra (o canal urinário), ela é atacada pelo sistema imunológico e pelos jatos de urina que soltamos durante o dia. Se, mesmo assim, ela conseguir chegar à bexiga, ela causa a infecção no órgão. Caso não seja tratada, a bactéria continua seu trajeto e pode atingir rins, causando a pielonefrite, que é bastante grave. Ela causa mal-estar e febre, além dos sintomas da cistite, e pode levar à morte. O paciente geralmente precisa ser internado para tratar a doença. Na recuperação, a dica é a mesma: tomar bastante líquido, para evitar que a bactéria cause esse estrago todo.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta