X

Saúde

Alimentos com carunchos: nutricionista esclarece sobre prejuízos à saúde

Especialista dá dicas de como evitar a reprodução e desenvolvimento dessa infestação

Da Reportagem

Publicado em 06/06/2022 às 10:24

Atualizado em 06/06/2022 às 10:27

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Limpeza de armários pode evitar a proliferação de carunchos / Divulgação

Quem nunca pegou um pacote de alimento aberto no armário e percebeu alguns bichinhos na embalagem? Esses insetos, conhecidos como carunchos, são classificados como pequenos besouros, com tamanho em torno de 3 milímetros, e com reprodução dependente de fatores como umidade e temperatura. Muitas pessoas se desfazem dos alimentos contaminados pela praga em dúvida sobre o quão mal sua ingestão pode causar à saúde.

De acordo com a coordenadora da clínica-escola de Nutrição da Faculdade Anhanguera, professora Natália Luiza Dias Lima, produtos com carunchos não têm a sua qualidade e o valor nutricional comprometidos. "O maior problema é que esses seres são vetores de fungos e outros parasitas, que deterioram a comida e permitem a produção de toxinas nocivas a humanos e outros animais", pontua.

O inseto pode se desenvolver em todos os tipos de alimentos, principalmente nos secos, como farinhas, massas secas (macarrão e outras), chás, biscoitos, leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico, soja) e cereais (arroz, milho de pipoca). "Ao perceber a presença de um caruncho, é preciso tomar cuidado: pode haver uma infestação", alerta. "É possível que haja ovos ou larvas no mantimento que irão continuar a se desenvolver ou atingir outros itens do armário", explica.

A docente explica que o controle da proliferação do inseto acontece ainda no período da plantação, mas há casos em que eles sobrevivem ao processo. A infestação também pode começar a partir de um alimento adquirido já contaminado. Com condições climáticas favoráveis, eles se desenvolvem com mais facilidade. "O mais importante é comprar alimentos com boa aparência, atenção à data de validade e em boas condições de armazenamento, uma vez que a contaminação pode acontecer em diferentes etapas da produção", aconselha.

No caso dos alimentos industrializados, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) tolera alguns fragmentos de insetos, mas a nutricionista alerta que há um risco nesse aproveitamento. "Ao examinar os pacotes com alimentos, é imprescindível verificar se há algum sinal de insetos ou até mesmo larvas. Antes do consumo, é preciso realizar a limpeza correta dos itens e deixá-los de molho em uma solução com água sanitária. Se algo boiar, deve ser descartado", orienta.

A docente indica que a faxina é um meio necessário para evitar a presença de carunchos. Caso sejam encontrados, é recomendado que os armários, prateleiras e outras áreas de armazenagem sejam esvaziados e as superfícies devem ser higienizadas com um pano limpo. "Atenção ao acúmulo de sujeita em quinas e frestas, locais onde os ovos de pragas são depositados", afirma.

A coordenadora listou algumas dicas valiosas para acondicionar os alimentos corretamente e evitar a presença desses insetos no seu armário:

- Observe a embalagem dos alimentos na compra, se existem furos, poeira, além de verificar a presença de insetos no ambiente e a validade do produto;

- Após abrir as embalagens de cereais, farinhas ou massas, transfira o conteúdo para potes bem fechados. Os carunchos não terão como sobreviver ali dentro. Guardar esses alimentos na geladeira também é uma opção para evitar a proliferação;

- Coloque etiquetas com data de validade em cada recipiente. Ingredientes fora do prazo deverão ser descartados para evitar riscos sanitários. Os alimentos secos após abertos devem ter em torno de 1 mês de validade. Caso haja, siga as orientações do fabricante;

- Se for estocar esses alimentos, é necessário inspeção periódica, para a existência de furos, rasgos ou presença de insetos.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

tráfico de drogas

Polícia Militar faz grande apreensão de drogas na zona sul de SP

Agentes apreenderam 524 porções de maconha, 253 pinos de cocaína, 213 pedras de crack, 34 porções de haxixe e um aparelho celular

Automotor

Conheça o Territory: SUV médio da Ford

Com apenas nove meses no mercado, o modelo novo do Territory já tornou-se mais fácil de encontrar nas ruas brasileiras

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter