X

VACINAÇÃO

Primeira remessa de vacinas contra a dengue chegam em São Paulo

Cerca de 79 mil doses do imunizante contra a dengue foram enviadas pelo Ministério da Saúde para dar início à campanha de vacinação contra a doença no estado

Folhapress

Publicado em 12/02/2024 às 19:21

Atualizado em 12/02/2024 às 19:24

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, chegou a enviar um ofício ao ministério no dia 30 de janeiro solicitando a distribuição de doses da vacina à capital paulista / Marcello Casal Jr./Agência Brasil

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo anunciou nesta segunda-feira (12) ter recebido na última sexta-feira (9) 79,4 mil doses do imunizante contra a dengue enviadas pelo Ministério da Saúde para dar início à campanha de vacinação contra a doença no estado.

Faça parte do grupo do Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

De acordo com a pasta, o PNI (Plano Nacional de Imunização), diante do número limitado de doses, orientou que a vacinação seja iniciada em crianças de 10 e 11 anos nos 11 municípios do Alto Tietê previamente definidos pelo ministério.

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal da Saúde, chegou a enviar um ofício ao ministério no dia 30 de janeiro solicitando a distribuição de doses da vacina à capital paulista. A cidade registra alta nos casos da doença, mas ficou de fora da lista de municípios prioritários para o início da vacinação.

A administração municipal da capital confirmou na quinta-feira (8) a primeira morte por dengue da cidade em 2024.

Até agora, o estado de SP tem 9 óbitos confirmados, sendo dois na Grande São Paulo, de acordo com o Painel de Monitoramento do governo estadual.

O Ministério da Saúde disponibilizou o imunizante para 16 estados e o Distrito Federal, priorizando aqueles com alta transmissão da doença e incidência do sorotipo 2 do vírus.

Veja a lista das cidades paulistas que receberão o imunizante
Município    - Região - Quantidade
Guarulhos - Alto Tietê - 34.270
Suzano - Alto Tietê - 8.409
Guararema - Alto Tietê - 800
Itaquaquecetuba - Alto Tietê - 10.960
Ferraz de Vasconcelos - Alto Tietê - 4.994
Mogi das Cruzes - Alto Tietê - 12.143
Poá - Alto Tietê - 2.834
Arujá - Alto Tietê - 2.343
Santa Isabel - Alto Tietê - 1.423
Biritiba-Mirim - Alto Tietê - 821
Salesópolis - Alto Tietê - 419

Membros do Ministério da Saúde avaliam que a situação da dengue é preocupante porque, atualmente, quatro sorotipos estão circulando no país ao mesmo tempo.

No último informe do COE (Centro de Operações de Emergência) da pasta, divulgado neste sábado (10), o Brasil tinha 62 mortes pela doença e 408.351 casos prováveis de dengue. Foram contabilizados 4.587 casos graves e 279 óbitos estão em investigação.

A previsão do governo é vacinar cerca de 3,2 milhões de pessoas em 2024. O esquema vacinal será composto por duas doses, que serão aplicadas em um intervalo de três meses. O Ministério da Saúde informou que adquiriu todas as 5,2 milhões de doses do imunizante -chamado Qdenga- disponibilizadas pela farmacêutica Takeda para este ano.

Elas serão entregues em etapas até o mês de novembro.

A pasta indica que há uma projeção de que o Brasil tenha em 2024 cerca de 4,2 milhões de casos de dengue. O número diverge da estimativa dada no final de 2023, quando a secretaria de Vigilância em Saúde e Ambiente da pasta, Ethel Maciel, afirmou que no pior cenário o país poderia chegar a 5 milhões de casos.

Segundo dados pasta, o ano de 2023 teve 1,6 milhão de registros prováveis, indicando a possibilidade de quase três vezes mais casos neste ano em relação ao período anterior.

O Brasil fechou o ano passado com um recorde de mortes por dengue, com 1.094 óbitos. Os dados foram extraídos do Sinan (Sistema de Informação de Agravos de Notificação). O recorde anterior ocorreu em 2022, com 1.053 óbitos. O terceiro ano com mais mortes foi 2015, com 986 vítimas.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

BOMBEIROS APONTAM RISCOS

Concessionária mantém show de Roberto Carlos no Pacaembu apesar de laudo dos Bombeiros

Vistoria dos Bombeiros revelou uma série de irregularidades nos sistemas de emergência, prevenção e combate a incêndios do estádio do Pacaembu; show está mantido

ESPECIAL TURISMO

Ilha do Montão do Trigo: Conheça o paraíso do litoral norte

Localizada em São Sebastião, a ilha tem águas cristalinas, muita natureza e uma história de impressionar; saiba mais

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter