últimas notícias
Na Fábrica de Cultura Diadema, por exemplo, será apresentado  nesta quinta-feira o documentário
Na Fábrica de Cultura Diadema, por exemplo, será apresentado nesta quinta-feira o documentário "Eu pareço suspeito?"
Foto: DIVULGAÇÃO/GOVERNO DE SPAULO

Racismo e machismo são temas de debate nas Fábricas de Cultura

A Fábrica de Cultura Brasilândia realiza o debate e a instalação "Você pode ser o que quiser: ‘o céu é o limite e você truta é imbatível’", no dia 12

Racismo, machismo, misoginia, colonialismo e invisibilidade serão alguns dos temas abordados em debates organizados nas Fábricas de Cultura, programa da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Governo do Estado de São Paulo.

Na Fábrica de Cultura Diadema, por exemplo, será apresentado o documentário "Eu pareço suspeito?" (2018), dirigido por Thiago Fernandes, editor, fotógrafo e co-fundador da produtora Toco Filmes, com uma narrativa voltada para as periferias de São Paulo e sua região metropolitana. A exibição do documentário sobre o genocídio da população negra, pobre e periférica, seguida de um bate-papo com Fernandes, ocorre nesta quinta-feira (6), a partir das 19h.

A roda de conversa "Toda palavra pode ser usada?" será realizada na Fábrica de Cultura Jaçanã. O objetivo é promover a explicação de algumas palavras e expressões faladas que remetem ao racismo, machismo, misoginia, colonialismo, opressões e que por vezes falamos e não sabemos a sua origem.

Já a biblioteca da Fábrica de Cultura Brasilândia realiza o debate e a instalação "Você pode ser o que quiser: 'o céu é o limite e você truta é imbatível'", no dia 12.

Toda a programação descrita acima é gratuita e não precisa de inscrição. Basta chegar ao local de apresentação com até 30 minutos de antecedência.

Mais informações sobre a programação podem ser obtidas no site www.saopaulo.sp.gov.br. No site www.cultura.sp.gov.br é possível ver o endereço de todas as Fábricas de Cultura do estado de São Paulo.

Tops da Gazeta