últimas notícias
Túnel de desinfecção para combater a Covid-19 no Hospital de Sorocaba
Túnel de desinfecção para combater a Covid-19 no Hospital de Sorocaba
Foto: Divulgação Hospital Oftalmológico de Sorocaba

Anvisa faz alerta sobre o uso de cabines de desinfecção no combate ao novo coronavírus

De acordo com a agência, além de não invalidar o vírus no corpo, os produtos utilizados em túneis e cabines podem causar irritação na pele, nos olhos e reações alérgicas

Nesta quarta-feira (13), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou uma nota afirmando que faltam “evidências científicas” de que o uso de cabines e túneis para desinfecção tenha eficácia contra a Covid-19.

Ainda de acordo com a Anvisa, “a duração de 20 a 30 segundos para o procedimento não seria suficiente para garantir o processo de desinfecção”. A nota também diz que o método “não inativaria o vírus dentro do corpo humano, além de poder causar danos à saúde de quem se submetesse à desinfecção com saneantes aplicados diretamente na pele e nas roupas”.

Segundo a agência, os produtos químicos usados nos saneantes são indicados para a higienização de superfícies, objetos e paredes. Se entrarem em contato com a pele ou serem aplicados diretamente sobre ela, “podem causar danos e efeitos adversos”.

Sobre o peróxido de hidrogênio, a inalação do produto pode causar irritação na garganta, nariz e vias respiratórias, podendo causar até edema pulmonar. Outros produtos usados, como os quaternários de amônio e o gás ozônio, podem causar irritação na pele, nos olhos e reações alérgicas.

No caso do gás ozônio, “dependendo do tipo de exposição, pode causar desconforto respiratório e outros danos, podendo levar a óbito”, acrescenta a nota.

Comentários

Tops da Gazeta