últimas notícias
Foi destacado pela autora do projeto, senadora Daniella Ribeiro (PP-PB), que muitos estudantes não possuem recursos técnicos para estudar em casa ou precisam cuidar da família
Foi destacado pela autora do projeto, senadora Daniella Ribeiro (PP-PB), que muitos estudantes não possuem recursos técnicos para estudar em casa ou precisam cuidar da família
Foto: Marcello Casal Jr/Agência Brasil

Senado aprova projeto para adiar o Enem

Projeto de lei teve 75 votos a favor e 1 contra, de Flávio Bolsonaro; texto precisa ser aprovado pela Câmara

Nesta terça-feira (19), o Senado aprovou um projeto de lei (PL) que permite o adiamento do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) devido a pandemia de Covid-19. O projeto teve 75 votos favoráveis e um contrário, do senador Flávio Bolsonaro (Republicanos-RJ). Entretanto, o PL não firma um novo prazo para a realização da prova. O texto segue para a aprovação da Câmara.

Até agora, o Enem teve mais de 3,5 milhões de inscrições e está dividido em duas provas. O Enem está previsto para ocorrer nos dias 1º de novembro e 8 de novembro. Já o Enem Digital está previsto para acontecer nos dias 11 e 18 de outubro.

Foi destacado pela autora do projeto, senadora Daniella Ribeiro (PP-PB), que muitos estudantes não possuem recursos técnicos para estudar em casa ou precisam cuidar da família. “Quantos têm condições de pagar uma plataforma de streaming, um EAD [ensino à distância]? Que possamos colocar rostos nessas pessoas que estão em casa, cuidando de irmãos pequenos, em casas com cinco, seis pessoas e não têm um espaço para estudarem sozinhos”.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre [DEM], reconheceu a maioria dos votos. “A gente não tinha como não tomar essa decisão, até porque foi por praticamente a unanimidade dos líderes. Ressalvando as ponderações do ministro, precisávamos deliberar um assunto que tinha a unanimidade dos partidos”, afirmou o presidente.

Na segunda-feira (18), os parlamentares decidiram pautar o projeto de lei. Após a decisão, na terça-feira (19), o ministro da Educação, Abraham Weintraub, informou que uma consulta pública será aberta entre os inscritos do Enem, com o objetivo de definir se a avaliação deve ou não ser adiada.

“Vamos perguntar para a parte interessada, quem se inscreveu. Se a maioria topar adiar, a gente adia. Vamos escutar os brasileiros. Essa é a minha proposta”, disse Weintraub durante uma live.

Comentários

Tops da Gazeta