últimas notícias

Serviços

Iniciativa faz parte do Green Sampa e é operada pela Ade Sampa, que tem o objetivo de fomentar negócios verdes
Iniciativa faz parte do Green Sampa e é operada pela Ade Sampa, que tem o objetivo de fomentar negócios verdes
Foto: Arquivo pessoal

Plataforma que mapeia iniciativas tecnológicas verdes é lançada em SP

Na plataforma, o empreendedor cadastra a sua startup e apresenta a solução tecnológica que poderá contribuir com as problemáticas da cidade

A Prefeitura de São Paulo lançou na quarta-feira (20) a plataforma de mapeamento de iniciativas verdes da Capital. A iniciativa, que faz parte do programa Green Sampa da Secretaria de Desenvolvimento Econômico e Trabalho e operada pela agência Ade Sampa, tem como objetivo fomentar negócios sustentáveis, tecnologias verdes e qualificação profissional, promovendo o desenvolvimento econômico sustentável do município. As inscrições podem ser feitas pelo site www.adesampa.com.br/greensampa.

Na plataforma, o empreendedor cadastra a sua startup e apresenta a solução tecnológica que poderá contribuir com as problemáticas da cidade. Após isso, a Ade Sampa identificará as demandas de empresas privadas e do setor público e cruzará com as soluções inovadoras de startups verdes.

"A plataforma será fundamental para que diversas startups possam contribuir com o desenvolvimento e a melhoria da nossa cidade. Além de trazer soluções para problemas do cotidiano, as startups poderão criar uma relação com as empresas do setor público e privado, para tornarmos São Paulo uma cidade cada vez mais tecnológica e sustentável", destaca a secretária de Desenvolvimento Econômico e Trabalho, Aline Cardoso.

Esses negócios poderão apresentar iniciativas em diversos eixos temáticos como água e saneamento; ecoagricultura e segurança alimentar; eficiência e clean web; energias limpas e armazenamento energético; indústria limpa e logística reversa; mobilidade urbana e transporte; parques e áreas verdes; qualidade do ar; resíduos sólidos, entre outros.

As ecotechs e cleantechs que se inscreverem nos meses de maio e junho concorrerão a mentorias individuais. Entre as 70 startups melhor avaliadas neste período, 20 receberão mentorias individuais e 50 um programa de qualificação com troca de boas práticas modular, a partir dos principais desafios enfrentados por elas.

Os critérios de análise são clareza e completude das respostas; validade da proposta de valor declarada no modelo de negócio; características inovadoras do negócio; possíveis benefícios gerados para a cidade e para a sociedade; sustentabilidade a longo prazo; alinhamento das necessidades apontadas pela empresa; perfil dos principais gestores e possibilidade de replicação do produto ou serviço em outros centros urbanos, representando sua potencial capilaridade.

Tops da Gazeta