últimas notícias

Seu Dinheiro

Houve alta, entretanto, na comparação com janeiro do ano passado, quando o indicador alcançou 60,1%; pesquisa é da CNC
Houve alta, entretanto, na comparação com janeiro do ano passado, quando o indicador alcançou 60,1%; pesquisa é da CNC
Foto: VALTER CAMPANATO/AGÊNCIA BRASIL

Cai para 65,3% o número de brasileiros endividados em janeiro

O percentual de famílias com dívidas em cartão de crédito, cheque especial, crédito consignado, carnê de loja, prestação de carro e prestação da casa diminuiu em janeiro de 2020 para 65,3%

O percentual de famílias com dívidas em cartão de crédito, cheque especial, cheque pré-datado, crédito consignado, crédito pessoal, carnê de loja, prestação de carro e prestação da casa diminuiu, em janeiro de 2020, para 65,3%, após ter alcançado o maior patamar da série histórica (65,6%) em dezembro.

Houve alta, entretanto, na comparação com janeiro do ano passado, quando o indicador alcançou 60,1%. Os dados são da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada ontem pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC).

Segundo a pesquisa, pelo terceiro mês consecutivo, o percentual de famílias inadimplentes, ou seja, com dívidas ou contas em atraso, teve queda - de 24,5% para 23,8%. Também foi registrada queda no percentual de famílias que declararam não ter condições de pagar suas contas ou dívidas em atraso e que, portanto, permaneceriam inadimplentes - de 10% para 9,6%. Os dois indicadores, porém, apresentaram alta em relação a janeiro do 2019.

De acordo com o presidente da CNC, José Roberto Tadros, apesar de o endividamento permanecer em um patamar elevado, a queda nos indicadores de atraso e inadimplência indica que as dívidas têm sido compatíveis com a renda das famílias.

"As melhores condições do crédito têm permitido a ampliação desse mercado ao consumidor, que vem tendo mais segurança para comprar por conta da melhora recente do mercado de trabalho, confirmada pelos últimos indicadores econômicos", afirmou, em nota.

Entre as dívidas apontadas pelos brasileiros como as principais em janeiro estão cartão de crédito (79,8%), carnês (15,9%) e financiamento de carro (10,9%).

Comentários

Tops da Gazeta