últimas notícias

Seu Dinheiro

Para os prestadores de serviço, o Sebrae recomenda se adequar para pagar as taxas cobradas pelos aplicativos de delivery
Para os prestadores de serviço, o Sebrae recomenda se adequar para pagar as taxas cobradas pelos aplicativos de delivery
Foto: Agência Brasil

Autônomos tentam manter negócios

Preocupados com essa categoria, o movimento nas redes sociais #compredopequeno ganhou uma nova nuance

A pandemia de coronavírus afastou clientes de restaurantes, fechou escolas e academias e deixou em situação mais desesperadora quem é autônomo, ou seja, não tem um salário fixo, ganha pelo serviço que oferece. É a diarista, o personal trainer, o dono da floricultura, da lanchonete.

Preocupados com essa categoria, o movimento nas redes sociais #compredopequeno, que incentiva que os consumidores busquem produtos locais para incentivar a economia e garantir renda aos microempreendedores, ganhou uma nova nuance. Quem é assalariado está sendo chamado nas redes sociais a ajudar os pequenos produtores a ter pelo menos parte da renda no fim do mês.

O governo federal já prepara medidas de socorro aos micro empresários. O Ministério da Economia divulgou que pretende permitir a isenção, por três meses, das contribuições dos empresários para o FGTS (R$ 30 bilhões) e da parte da União no Simples Nacional (R$ 22,2 bilhões). O Programa de Geração de Renda (Proger), do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT) reforçará o crédito a micro e pequenas empresas em R$ 5 bilhões.

Comentários

Tops da Gazeta