últimas notícias
Brasília - Brasileiros aproveitam o sábado para sacar o FGTS inativo durante a segunda etapa do liberação do FGTS nas agências da Caixa Econômica.
Brasília - Brasileiros aproveitam o sábado para sacar o FGTS inativo durante a segunda etapa do liberação do FGTS nas agências da Caixa Econômica.
Foto: José Cruz/Agência Brasil

NOTAS

Abono salarial. O abono salarial do Programa de Integração Social (PIS), ano-base 2017, começou a ser pago para os trabalhadores da iniciativa privada nascidos em março e abril. O crédito em conta para os correntistas da Caixa Econômica Federal foi feito na quarta-feira. De acordo com a Caixa, estão disponíveis mais de R$ 2,7 bilhões para 3,7 milhões de trabalhadores. Os servidores públicos com inscrição no Programa de Formação do Patrimônio do Servidor Público (Pasep), finais 6 e 7, também começaram a receber o abono salarial desde a última quinta-feira. Os valores variam de R$ 84 a R$ 998, de acordo com o tempo trabalhado formalmente em 2017. Os pagamentos são realizados conforme o mês de nascimento do trabalhador e tiveram início em julho de 2018. (AB)

Consumo. A Intenção de Consumo das Famílias (ICF), calculada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), cresceu 2,7% na passagem de janeiro para fevereiro deste ano. Com essa que foi a quarta alta consecutiva, o indicador chegou a 98,5 pontos, em uma escala de zero a 200, o maior patamar desde abril de 2015 (102,9 pontos). Na comparação com fevereiro de 2018, a ICF teve alta de 13,1%. Nos dois tipos de comparação (mensal e anual), os sete componentes do indicador tiveram alta. Em relação a janeiro, a maior alta foi observada no momento para a compra de bens duráveis, que cresceu 4,4%. Outro crescimento importante foi percebido na perspectiva de consumo (3,4%). (AB)

Inflação. Os consumidores brasileiros acreditam que a inflação no país ficará em 4,9% nos próximos 12 meses, segundo pesquisa feita em fevereiro deste ano pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A taxa é inferior aos 5% previstos pelos consumidores na pesquisa de janeiro e é a menor desde julho de 2007 (4,8%). Segundo a economista Viviane Seda Bittencourt, da FGV, a estimativa de inflação pelos consumidores vem caindo nos últimos quatro meses, ou seja, desde a conclusão da eleição. Os consumidores estão mais otimistas em relação à situação econômica do país e à redução das incertezas. A expectativa é que esse resultado se torne estável ou tenha pequenas variações. A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acumula taxa de 3,78% em 12 meses. (AB)

Comentários

Tops da Gazeta