últimas notícias
Praia de Caraíva, Bahia.
É um vilarejo de Porto Seguro, e com quase mil habitantes, é praticamente intocado. O acesso é feito via barco. Não tem carros nem motos, o transporte é todo a pé ou, no máximo, por carroças. É bom reservar os hotéis bem antes, já que não há muitas opções disponíveis. Se quiser, contrate um guia turístico: quase todos são nativos do lugar, e podem te levar a lugares mais reservados, como as praias de Satu e Juacema, nas quais só dá para chegar de barco. A iluminação elétrica chegou há pouco, mas é bom, ao sair para passear, levar uma lanterna.
Praia de Caraíva, Bahia. É um vilarejo de Porto Seguro, e com quase mil habitantes, é praticamente intocado. O acesso é feito via barco. Não tem carros nem motos, o transporte é todo a pé ou, no máximo, por carroças. É bom reservar os hotéis bem antes, já que não há muitas opções disponíveis. Se quiser, contrate um guia turístico: quase todos são nativos do lugar, e podem te levar a lugares mais reservados, como as praias de Satu e Juacema, nas quais só dá para chegar de barco. A iluminação elétrica chegou há pouco, mas é bom, ao sair para passear, levar uma lanterna.
Foto: Divulgação - Secretaria Municipal de Cultura e Turismo/Porto Seguro

Carnaval sem agito

Nem só de samba é feito o Carnaval; conheça destinos para quem curte natureza, história e clima de interior

Quem disse que Carnaval é só curtir nos trios elétricos, escolas de samba e desfile de blocos? Pois há destinos incríveis no Brasil que fogem dos festejos de Momo e que podem ser aproveitados no feriadão de quatro dias, que termina em 25 de fevereiro.

Macaque in the trees
São Francisco Xavier, em São Paulo. Pertence ao município de São José dos Campos, e se localiza na divisa com Minas Gerais. Chama a atenção pelas trilhas, tirolesa, rapel e cachoeiras, como a de Pedro David.

Um deles é o vilarejo de Caraíva, em Porto Seguro, um verdadeiro paraíso (quase) intocado. Para se ter uma ideia, não há rodovias próximas e o caminho deve ser feito de balsa. Como não há asfalto, os carros são inexistentes: o transporte das bagagens é feito por carroças, e as pequenas ruas de terra pedem um bom par de chinelos para a caminhada. Caraíva tem algumas pousadas rústicas, portanto vale a pena reservar um quarto com antecedência.

Outro destino bom para quem quer distância da agitação é o parque estadual do Jalapão, no interior de Tocantins. Lá a paisagem é a do cerrado com vegetação mais rala intercalada com dunas. Destacam-se a cachoeira das Velhas, com 100 m de largura e 15 m de altura, as Dunas, que chegam a 40 m de altura, e as formações rochosas, que se erguem em meio à paisagem. A infraestrutura hoteleira da região conta com hotéis e pousadas, além de hostels.

Já para quem curte um clima de cidade de interior, dois locais devem entrar na lista. Um deles é Visconde de Mauá, um bairro de Resende, no Rio de Janeiro. Localizada na Serra da Mantiqueira, a 1.200 m acima do nível do mar, o calor não é tão intenso. As cachoeiras são o grande atrativo de lá, e a mais famosa delas é a do Escorrega, com uma rampa natural de rochas. Há bons hotéis, pousadas e restaurantes. O acesso é feito via rodovia Dutra.

Por fim, São Francisco Xavier, distrito de São José dos Campos, no interior de São Paulo, tem uma atmosfera mais de cidade pequena. O acesso ao local é feito por uma estrada que sai de Monteiro Lobato, outro distrito de São José - se você tiver o espírito mais aventureiro, trilhas e estradas de terra saindo de Monte Verde são uma opção. A geografia montanhosa do local cria cachoeiras como a de Pedro David, e também as atividades radicais, como tirolesa, rapel e passeio a cavalo, que devem entrar no roteiro.

Carnaval diferente

Caraíva, Jalapão, Visconde de Mauá e São Francisco Xavier fazem parte de um roteiro de destinos off-samba. Estes e outros locais perceberam que podem se tornar pontos de interesse turístico para quem quer escapar da folia de Momo, e vêm sendo cada vez mais procurados pelos turistas que querem fugir do agito do Carnaval.

Mas é importante se planejar para ir a estes lugares. Por serem povoados ou distritos, o acesso a eles é mais difícil. Nem sempre dá para ir de carro, e o barco acaba sendo o único meio de transporte. Outro detalhe a ser levado em consideração é fazer a reserva dos hotéis com antecedência, visto que são locais com poucos hotéis e pousadas disponíveis, e assim dá para garantir sua hospedagem sem aborrecimentos.

Há locais que as estradas são irregulares, portanto, é bom fazer uma verificação no carro antes de pegar a estrada. Estes locais estão cercados por muitas áreas verdes - o que pode acarretar na presença de mosquitos e pernilongos. Um bom repelente deve fazer parte da bagagem, para que o passeio seja agradável.

Quando necessário, conte com a ajuda de guias turísticos. Em muitos casos, eles são nativos do local, e conhecem como ninguém os segredos da região. Você pode, inclusive, descobrir atrações incríveis com a ajuda deles.

Galeria de Fotos

Tops da Gazeta