últimas notícias
Beto Carrero World (Penha/SC). 
O parque abriu em 12 de junho, e para evitar aglomerações, adotou o aplicativo Fila Virtual, que agenda a visita às atrações.
Beto Carrero World (Penha/SC). O parque abriu em 12 de junho, e para evitar aglomerações, adotou o aplicativo Fila Virtual, que agenda a visita às atrações.
Foto: Felipe Lima

Parques temáticos reabrem no Brasil

O setor de parques de diversão e atrações de lazer passou por adaptações para voltar às atividades, por conta do coronavírus, e receber os visitantes com segurança

Em algumas cidades brasileiras, o comércio já voltou à ativa, mas com várias restrições de acesso. Os parques de diversões, por reunirem uma grande quantidade de pessoas, se viram diante de um desafio: como manter as atrações funcionando e entreter os visitantes com segurança, para retomar as atividades?

"Já fazemos monitoramento dos protocolos por meio de checklist, e também fizemos os protocolos Covid-19. Estamos muito confiantes, muito seguros de que realmente temos as melhores práticas possíveis para a retomada", afirma Vanessa Costa, presidente da Adibra (Associação das Empresas de Parques de Diversões do Brasil). Além da medição de temperatura dos visitantes antes de entrar nos parques, a obrigatoriedade do uso de máscaras e a disponibilização de álcool em gel ou pias para lavar as mãos por toda a área do parque, e marcações no chão para manter o distanciamento das pessoas nas filas, há alguns protocolos específicos do setor. "Estamos fazendo a desinfecção de todas as áreas dos brinquedos entre um cliente e outro. Em uma roda gigante, por exemplo, somente entrarão nas gôndolas pessoas do mesmo grupo familiar", informa.

Macaque in the trees
Parque Unipraias (Balneário Camboriú/SC): O complexo tem um mirante, um trenó na montanha que passa por dentro da Mata Atlântica, além dos bondinhos, que levam os turistas entre três pontos distintos e têm uma vista linda da cidade. Entre um grupo ou cliente e outro, o espaço é totalmente higienizado, e o uso de máscaras é obrigatório

Outra recomendação da associação é sobre a lotação dos parques, de 50% do total. "Depende de cada governo, o quanto vai permitir de limite de pessoas nos locais, mas no nosso protocolo sugerimos 50% da capacidade legal do parque, e pode ser tanto por agendamento prévio ou não". A comunicação visual, que informa sobre o uso de máscara, higienização das mãos e distanciamento social também faz parte da nova decoração dos parques. E atrações que têm contato entre os visitantes continuam fechadas.

Macaque in the trees
Alpen Park (Canela/RS): O parque funciona de sexta à domingo. Além o uso de máscaras, há marcações nas filas para o distanciamento entre as pessoas

Do lado dos funcionários, a atenção também é redobrada. Segundo o protocolo da Adibra, eles devem usar máscaras, óculos e luvas; os uniformes somente devem ser utilizados dentro do parque (eles não poderão sair ou voltar de casa com ele); os refeitórios, se houver, deverão ser adaptados para promover o distanciamento social entre as pessoas e, em alguns casos, manter o home office para aqueles que não precisam se deslocar até o trabalho. Já na limpeza do parque, as lixeiras devem ser higienizadas a cada rota de coleta, fazer a rotina de desinfecção de todas as áreas comuns do parque antes de sua abertura e refazer o processo a cada três horas, além de desativar os bebedouros. Assim, com essas recomendações, é possível voltar a se divertir com segurança.

Macaque in the trees
Snowland (Gramado/RS): O local tem atrações como pista de patinação e neve de verdade. Há a exigência do uso de máscaras e álcool em gel

Macaque in the trees
Oceanic Aquarium (Balneário Camboriú/SC): O aquário reabriu aos visitantes com um túnel de desinfecção com ozônio, tapetes químicos, além do uso de máscaras

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta