últimas notícias
LENÇÓIS MARANHENSES: As piscinas naturais enchem os olhos, mas a reabertura obedece a algumas restrições, como a redução em 55% no número de visitantes e o distanciamento social na hora no banho nas piscinas, por exemplo
LENÇÓIS MARANHENSES: As piscinas naturais enchem os olhos, mas a reabertura obedece a algumas restrições, como a redução em 55% no número de visitantes e o distanciamento social na hora no banho nas piscinas, por exemplo
Foto: Vitormarigo

A volta do ecoturismo

Parques nacionais estão reabrindo, e podem ser uma opção de passeio com menos aglomerações

Ver a natureza faz bem: o contato com a mata, o ar puro, as trilhas e as paisagens são um colírio para os olhos e oxigênio para nossas vidas, ainda mais depois de tantos meses em isolamento social - e alguns deles estão reabrindo, mas com os protocolos do 'novo normal'.

Afinal, como parques são ambientes muito amplos e abertos, seguindo todas essas normas em tempos de pandemia, o turismo de aventura e o ecoturismo acabam sendo uma opção de passeio para quem quer voltar a viajar mas com segurança.

Macaque in the trees
APARADOS DA SERRA. O parque funciona de terça a domingo, e somente as trilhas do Rio do Boi, das Piscinas do Malacara e do Tigre Preto, que ficam em Santa Catarina, estão funcionando. O local está recebendo apenas 40% dos turistas, devido à pandemia do coronavírus. O Cânion do Funil (foto) é uma das atrações entre os paredões rochosos, que podem chegar a 700 m de altura. A entrada no parque é gratuita, e recomenda-se que os turistas levem seu próprio lanche e água. O banho nos cursos de água continua proibido.

"Essa pandemia oferece uma oportunidade de redescobrir o Brasil", afirma Luiz del Vigna, diretor executivo da Abeta (Associação Brasileira das Empresas de Ecoturismo e Turismo de Aventura). A associação elaborou uma cartilha com orientações para adaptar os pontos turísticos aos novos tempos, como o uso de máscaras, medição de temperatura, álcool em gel e distanciamento social.

Vigna aponta que a volta do turismo é importante para as cidades, mas não basta somente as atrações tomarem os cuidados contra o coronavírus. "Alguns locais já abriram e identificamos um problema: a falta de consciência do consumidor. Não adianta o parque trabalhar de forma consciente com todos os protocolos, se o turista não tem o comportamento adequado, como não usar máscaras", avisa. Ou seja: parte também dos turistas a atitude de seguir as novas regras para poder aproveitar a reabertura dos parques nacionais.

Macaque in the trees
TIJUCA. Reabriu em julho, e as atividades que não provocam aglomerações estão liberadas, como as caminhadas e o ciclismo. Mas locais que podem reunir público, como o mirante Dona Marta e o da Vista Chinesa; as cachoeiras, duchas, rios, lagos e lagoas; as praças e as áreas compartilhadas seguem fechadas.

Entre os locais que já reabriram estão os Parques Nacionais de Aparados da Serra, entre os estados de Santa Catarina e Rio Grande do Sul; o da Tijuca (RJ); o dos Lençóis Maranhenses (MA); e o da Serra Geral (RS).

Macaque in the trees
SERRA GERAL. O parque também só pode funcionar com 40% da capacidade nesta época. Ele fica do lado do parque Aparados da Serra, e é muito conhecido pelos cânions. O mais famoso deles é o Fortaleza, com seus altos paredões rochosos.

São locais que merecem uma bela visita por mostrar um dos pontos fortes do turismo brasileiro: a exuberância da sua natureza. Em Aparados da Serra e o da Serra Geral, a Mata Atlântica aparece em sua plenitude, e os cânions chamam a atenção. O dos Lençóis Maranhenses atraem turistas do mundo todo com a beleza de suas piscinas naturais. E o da Tijuca, embora não tenha liberado o acesso a alguns mirantes, permite ao turista ter um contato com a natureza dentro do Rio de Janeiro. E, seguindo todos os cuidados, poderemos voltar a visitar esses importantes locais e conhecer um pouco mais da natureza brasileira.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta