Publicidade

X

Mundo

Coreia do Norte concorda em desativar seu complexo nuclear

Moon Jae-in e Kim Jong-un anunciaram nesta quarta (19) um acordo para desativar permanentemente o complexo nuclear de Yongbyon, o principal da Coreia do Norte Por Folhapress De São Paulo

dothCom Consultoria Digital

Publicado em 19/09/2018 às 14:50

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Em declaração conjunta divulgada nesta quarta-feira (19) após encontro em Pyongyang, o presidente da Coreia do Sul, Moon Jae-in, e o ditador norte-coreano, Kim Jong-un, anunciaram um acordo para desativar permanentemente o complexo nuclear de Yongbyon, o principal da Coreia do Norte.

O acordo, no entanto, depende de "medidas correspondentes" por parte dos Estados Unidos.

Kim também se comprometeu a fechar um unilateralmente outro complexo, Dongchang-ri, usado no testes de mísseis, e afirmou que vai autorizar a presença de inspetores internacionais no local.

Em maio, quando os norte-coreanos fecharam um outro complexo, o de Punggye-ri, jornalistas puderam observar a distância a ação, mas a presença dos inspetores não foi permitida.

Nenhum dos líderes, porém, deu detalhes de quais seriam medidas os Estados Unidos teriam que tomar para que o fechamento de Yongbyon ocorresse, algo que Washington tenta fazer há décadas, mas sem sucesso.

A Casa Branca ainda não se pronunciou oficialmente, mas o presidente Donald Trump elogiou a declaração nas redes sociais e se disse muito animado com o encontro. "Kim Jong-un concordou em permitir inspeções nucleares, sujeitas a negociações finais, e a desativar permanentemente um local de teste e uma plataforma de lançamento na presença de especialistas internacionais. Enquanto isso não haverá foguetes ou testes nucleares", escreveu o americano.

Na área diplomática, Kim Jong-un afirmou que pretende visitar Seul ainda este ano e que os dois países desejam sediar os Jogos Olímpicos de 2032 de maneira conjunta.

"Concordamos em fazer a península coreana uma terra de paz, livre de armas e da ameaça nuclear", afirmou o ditador.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Vagas de estágio

Empresa Basf tem mais de 300 vagas em aberto; veja as oportunidades

Vagas são para os estados de São Paulo, Bahia, Mato Grosso, Goiás e Pernambuco e devem ser preenchidas ao longo do ano

PARAGUAÇU PAULISTA

VÍDEO: Câmeras flagram menino de 12 anos furtando moto no interior SP

Veículo foi abandonado momentos depois; testemunha prestou depoimento à polícia

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter