Publicidade

X
NOVIDADES

Conheça o novo Peugeot 208

A Peugeot lança versões Like e Style do hatch 208, com motor aspirado 1.0 Firefly "emprestado" da Fiat

Publicidade

A variante Style acrescenta sofisticação por meio de elementos como a grade em Dark Chrome, faróis com detalhes cromados e tecnologia full-led / Divulgação

O Peugeot 208 surgiu na Europa em 2012 e chegou ao Brasil no ano seguinte, para substituir o 207. Sua segunda geração veio em 2019, marcada por uma transformação estética radical. Desde que surgiu, o carro resgatou o charme do volante pequeno, típico das “carangas” customizadas dos anos 70. Essa característica permaneceu no atual 208, se estendendo para outros modelos da Peugeot. Veículo mais vendido da marca no Brasil desde o seu lançamento, o 208 teve em abril 1.736 unidades emplacadas, com 7.920 no acumulado dos quatro primeiros meses do ano e média mensal de 1.980. Para impulsionar as vendas de seu carro-chefe, a marca francesa – agora pertencente à Stellantis – acaba de voltar a um nicho importante do mercado nacional: a dos hatches com motor 1.0. Lançou duas novas versões do 208, a Like e a Style, com preços partindo de R$ 72.990. Os novos 208 vêm com a pretensão de fazer do hatch da Peugeot o 1.0 mais completo do mercado nacional.

Para equipar as duas novas configurações, a Peugeot “convocou” o 1.0 Firefly de três cilindros da Fiat, também integrante da Stellantis. O uso desse propulsor no 208 é resultado de uma sinergia envolvendo sua aplicação na plataforma CMP e o desenvolvimento local feito de forma conjunta com equipes de engenharia de Porto Real (RJ), Betim (MG) e Palomar (Argentina). Bicombustível, o motor 1.0 Firefly traz a arquitetura de duas válvulas por cilindro com geometria do conjunto aprimorada, com o objetivo de melhorar o rendimento em giros reduzidos para garantir maior economia de combustível, melhor performance, menores níveis de emissões e maior silêncio a bordo. A potência chega a 75 cavalos e o torque, a 10,7 kgfm a 3.250 rotações por minuto, ambos com etanol. Construído em bloco de alumínio, o 1.0 Firefly foi desenvolvido para ter durabilidade mínima de 240 mil quilômetros, segundo a engenharia da Stellantis. Nas duas versões do 208, o propulsor é acoplado ao câmbio manual de cinco marchas. As demais variantes do 208 no Brasil contam com motor 1.6 com transmissão automática de seis marchas. A opção mais acessível é a Active, com preço de R$ 99.990, seguida pela Allure, a R$ 107.890, e pela topo de linha Griffe, a R$ 112.790.

Leia Também

• Toyota expande linha de eletrificados no Brasil com nova versão do Camry

O motor 1.0 Firefly traz a arquitetura de duas válvulas por cilindro com geometria do conjunto aprimorada
O motor 1.0 Firefly traz a arquitetura de duas válvulas por cilindro com geometria do conjunto aprimorada (Divulgação)

O 208 Like vem de fábrica com a central multimídia Connect com tela “touchscreen” de 10,3 polegadas e espelhamento para Android Auto e Apple CarPlay, luzes diurnas (DRL) em leds no formato de “Dente de Sabre” – como nas versões mais potentes –, vidros e retrovisores elétricos, entradas USB, airbags duplos e controle de estabilidade e tração. Logo acima, o 208 Style – que, segundo a Peugeot, é uma versão cheia de significados. O nome traz o propósito de expressar o inconfundível design da marca francesa. Seu lançamento ajuda a compor o portfólio da família 208 e registra a chegada da marca “Style” ao Brasil, com a mesma “roupagem” utilizada na Europa. A variante Style acrescenta sofisticação por meio de elementos como a grade em Dark Chrome, faróis com detalhes cromados e tecnologia full-led.

As capas dos retrovisores são em preto brilhante, enquanto as rodas de 16 polegadas têm acabamento escurecido (Dark Style). Na traseira, o aerofólio em preto brilhante fecha com o acabamento Black Diamond, com a saída de escapamento com ponteira cromada conferindo um toque de esportividade. O 208 Style agrega ainda o teto panorâmico, bancos com revestimento Style, Wireless Charger para carregamento de smartphone por indução e sistema Visiopark 180 graus, com câmera de ré com projeção e sensores de estacionamento traseiros. A denominação “Style” é identificada em badges posicionados no exterior e interior da configuração.

Modelo  tem posto de condução elevado e painel pensado para servir da melhor maneira possível a quem está à direção, se completando com o volante Sport Drive de dimensões reduzidas e base achatada
Modelo possui posto de condução elevado e painel pensado para servir da melhor maneira possível a quem está à direção, se completando com o volante Sport Drive de dimensões reduzidas e base achatada (Divulgação)

O Peugeot 208 tem uma silhueta arrojada, que evoca esportividade com um sutil equilíbrio entre robustez e suavidade. O desenho esteve no centro dos estudos da Peugeot ao desenvolver o 208 de segunda geração. De acordo com a fabricante, esse cuidado não esteve somente relacionado ao visual, mas também à tecnologia. Nesse aspecto, o grande diferencial está no i-Cockpit. O conceito, patenteado pela marca para expandir as sensações e o prazer de dirigir, contém na sua receita um posto de condução elevado e painel pensado para servir da melhor maneira possível a quem está à direção, se completando com o volante Sport Drive de dimensões reduzidas e base achatada.

A central multimídia dos novos 208 tem o aplicativo Cart instalado, facilitando a jornada de mobilidade do motorista. O aplicativo oferece uma solução de pagamento integrada para produtos e serviços de várias marcas. Os clientes Peugeot ganham ainda 12 meses de mensalidade Conectcar, graças à parceria com o Cart. O Peugeot Total Care é outro destaque no 208. As duas novas versões do 208 integram automaticamente o programa que oferece aos consumidores serviço de concierge, revisões agendadas, carro reserva enquanto o serviço estiver sendo feito e reboque gratuito vinte e quatro horas por dia durante oito anos em casos de pane ou colisão.

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Nicolas Vlavianos, que criou esculturas no Arouche e na Sé, morre aos 93 anos

Segundo sua filha, Myrine Vlavianos, o artista passou os últimos seis meses entre idas e vindas do hospital

Saúde

Anvisa determina recolhimento do remédio 'Losartana', usado para tratar hipertensão

Produtos devem ser retirados das farmácias em até 120 dias

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software