X

Startup da China

Neta Auto anuncia sua chegada ao Brasil este ano

Neta ainda não confirmou nenhum modelo que deverá chegar ao Brasil, entretanto, dá três pistas com as fotos reveladas

Daniel Dias/AutoMotrix

Publicado em 09/06/2024 às 15:50

Atualizado em 09/06/2024 às 16:15

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Neta X / Divulgação

O mundo do automóvel elétrico está cada vez mais dominado pelos chineses. E a principal estratégia dos dirigentes das marcas automotivas para a China chegar à supremacia foi quando, com o apoio governamental, decidiram se especializar em carros carregáveis em tomadas.

Além de ter uma mão de obra mais barata, que ajuda a manter os produtos feitos no país asiático com preços mais acessíveis, as marcas chinesas assumiram o comando de fabricantes europeias instaladas na China ou se associaram com elas, com foco na importação de tecnologia para seus próprios veículos.

A BYD já tomou conta do universo elétrico do mercado brasileiro, puxando a GWM, a Seres, a Chery e desde o final do ano passado, a nova associação da Omoda com a Jaecoo.

Neta Auto

Agora, a novata Neta Auto – fundada em 2018 e pertencente ao grupo Hozon New Energy Automobile (um gigante fornecedor global de tecnologia) – anuncia sua chegada ao Brasil, já para este ano. Trará modelos feitos na China e promete construir em breve uma fábrica para produzir em território nacional.

Para isso, uma das possibilidades da Neta seria assumir a fábrica da Toyota em Indaiatuba (SP) – a gigante japonesa decidiu concentrar sua produção no Brasil na unidade industrial de Sorocaba (SP).

Se a Neta realmente ocupar a unidade que era da Toyota, produzirá carros, em um primeiro momento, sob o regime CKD, com partes vindas da China.

“Tecnologia para todos” e “oferecer veículos elétricos inteligentes acessíveis”. É com esses dois mantras que a Neta Auto desembarca no Brasil. Os objetivos são bastante audaciosos: ser referência entre os veículos elétricos, mantendo-se desenvolvedora, atualizada e com produtos modernos.

O nome “Neta” está associado a uma lenda chinesa. Basicamente, ela conta a história de um menino que nunca desiste dos seus sonhos.

Múltiplos significados

Segundo Henrique Sampaio, diretor de Marketing e Produto da Neta Auto, o próprio logotipo da nova fabricante mistura os significados de pessoas, árvores, primavera e asas, para retratar uma empresa que materializa sonhos.

“O espírito Neta representa uma nova tentativa e exploração da cultura tradicional chinesa na nova era, um compromisso sincero com o valor da tecnologia para todos, sempre defendendo a visão de popularizar os veículos elétricos”, explica Fang Yunzhou, fundador e presidente da Neta Auto.

Com apenas seis anos de existência, a Neta é considerada na China uma startup, e já acumula mais de 400 mil carros vendidos em sua recente história.

Resultado de uma estratégia global e um investimento total de mais de 20 bilhões de yuans (cerca de R$ 15 bilhões), a Neta tem mais de nove mil empregados e aproximadamente três mil patentes de tecnologia cadastradas.

Startup na China

No ano passado, a Neta superou a marca de 20 mil unidades vendidas fora da China e no primeiro bimestre de 2024, manteve o primeiro lugar entre as startups fabricantes de veículos naquele país.

A matriz da empresa fica em Xangai, mas ela tem como uma espécie de segunda sede a cosmopolita Hong Kong – um dos maiores centros financeiros do Oriente –, voltada exclusivamente para as operações fora do mercado chinês.

A Neta já está presente nos cinco continentes habitáveis do planeta, com seis subsidiárias e cinco fábricas operantes, com as próximas unidades já demarcadas no mapa-múndi: Brasil e México. O plano da empresa é estabelecer uma linha de produção no Brasil para abastecer toda a América do Sul.

No entanto, antes de abrir a fábrica aqui, a Neta Auto já dará início as suas operações no mercado brasileiro importando carros da China. A marca prevê a abertura de concessionárias nas localidades de maior volume de vendas de automóveis no mercado brasileiro.

“Como as vendas no Brasil se iniciam no segundo semestre deste ano, o número de concessionárias nomeadas ainda está crescendo bastante”, garante Sampaio.

Sete modelos em portfólio

A empresa chinesa tem sete modelos em seu portfólio, dedicado ao mercado de consumo de massa. A fabricante desenvolveu ainda a “Plataforma Shanhai”, considerada inteligente e segura, e a marca Hozi Technology, para atender às demandas dos usuários e promovendo a acessibilidade à tecnologia avançada.

Neta GT

A Neta ainda não confirmou nenhum modelo que deverá chegar ao Brasil, entretanto, dá três pistas com as fotos reveladas em seu material inicial de divulgação no país. O primeiro deles – e o mais aguardado – é o Neta GT.

Neta GTNeta GT/Divulgação

O cupê esportivo de quatro lugares lembra muito o Chevrolet Corvette e chegará para brigar diretamente com o BYD Seal. Já registrado no Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), o GT tem baterias de 64 e 74 kWh, com autonomia de 550 a 650 quilômetros, vinda de versões de 231 e 462 cavalos de potência.

Neta L

O segundo modelo cotado para o Brasil é o Neta L.

Neta LNeta L/Divulgação

Semelhante ao tamanho do Toyota Corolla Cross – com 4,77 metros de comprimento e generosos 2,81 metros de distância de entre-eixos –, o SUV médio conta com uma variante 100% elétrica, com bateria de 68,1 kWh, 231 cavalos de potência e autonomia de 460 quilômetros, e uma híbrida para um alcance total de mais de mil quilômetros e 197 cavalos de potência combinada.

E o terceiro veículo cotado para o Brasil é o SUV médio totalmente elétrico Neta X, menor em comparação ao L, com 4,61 metros de comprimento e 2,77 metros de entre-eixos, bateria de 64 kWh, autonomia de quase 510 quilômetros e 163 cavalos de potência.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

OPERAÇÃO NO CENTRO DE SP

Ação da PM contra jogos de azar destrói mais 170 máquinas caça-níquel em SP

Operação Impacto-Centro prendeu mais de 60 pessoas no centro de São Paulo

Futebol

Ronaldinho Gaúcho desiste de torcer para o Brasil na Copa América

Lenda da seleção afirmou em podcast que não vai acompanhar as partidas da Seleção

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter