últimas notícias
Assessor preso é principal elo formal entre laranjas do PSL e ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) (foto)
Assessor preso é principal elo formal entre laranjas do PSL e ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG) (foto)
Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Assessor especial de ministro do Turismo é preso pela PF

Preso nesta quinta-feira, Mateus Von Rondon figura nas investigações como principal elo formal entre o ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL-MG), e o esquema de candidaturas de laranjas do PSL no estado. O caso dos laranjas do PSL foi revelado pelo jornal "Folha de S.Paulo",
em fevereiro.

Assessor especial no ministério, ele tinha, desde 2013 até o começo desse ano, uma empresa de serviços de internet e marketing.

A firma basicamente funcionou para um único cliente: Álvaro Antônio, que apresentou uma série de notas fiscais de Mateus à Câmara para justificar gastos de sua cota parlamentar. Mateus virou assessor especial do ministro no governo Jair Bolsonaro em 23 de janeiro de 2019, dois dias depois de ter encerrado as atividades do negócio na Receita Federal. A mesma empresa aparece na prestação eleitoral de contas de quatro candidatas a deputada estadual e federal usadas como laranjas pelo PSL de Minas, partido comandado à época por Marcelo Álvaro Antônio, então deputado e candidato à reeleição. O caso das laranjas do PSL, partido de Bolsonaro, é alvo de investigações da Polícia Federal e do Ministério Público em Minas e em Pernambuco e levou à queda do ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gustavo Bebianno, que comandou o partido nacionalmente em 2018. Ao todo, Lilian Bernardino, Naftali Tamar, Debora Gomes e Camila Fernandes, candidatas do Vale do Aço e de Curvelo, no interior de MG, declararam ter pago R$ 32 mil à empresa de Von Rondon, que tem Belo Horizonte como sede. (FP)

Tops da Gazeta