últimas notícias
Maestro João Carlos Martins é considerado um dos maiores intérpretes de Bach do século 20
Maestro João Carlos Martins é considerado um dos maiores intérpretes de Bach do século 20
Foto: THIAGO NEME/GAZETA DE S. PAULO

João Carlos Martins se apresenta em Porto Feliz

Orquestra Filarmônica Bachiana, sob regência do maestro, fará uma apresentação gratuita na Praça da Matriz

No mês de julho, a cidade de Porto Feliz receberá uma apresentação da Orquestra Bachiana Filarmônica Sesi-SP, sob a regência do maestro João Carlos Martins. O espetáculo será gratuito e acontecerá no dia 12 de julho, às 20h, na Praça da Matriz.

A realização do evento é da Fiesp/Sesi, com apoio da Prefeitura de Porto Feliz.

ORQUESTRA.

A Bachiana Filarmônica fez seu primeiro concerto em 2004 na Sala São Paulo, na capital paulista. Depois disso, com um repertório que inclui sinfonias de Beethoven, Brahms e Tchaikovsky, os músicos se apresentaram nas mais importantes salas de concerto do Brasil e também em outros países. O grupo gravou as Suítes Orquestrais de Bach, que são obras precursoras das grandes sinfonias compostas nos séculos seguintes.

Em 2006, o maestro João Carlos Martins fundou a Orquestra Bachiana Jovem, que tinha por objetivo trabalhar na evolução musical de jovens musicistas e ao mesmo tempo democratizar a música clássica. As apresentações estenderam-se desde pequenas cidades até comunidades mais carentes, por meio de uma série de concertos em todos CEUs da Capital e diversas escolas públicas e praças pelo Brasil afora. A Bachiana Jovem também gravou sob a regência do maestro o CD "Paixões".

Em 2009 as duas orquestras fundiram-se, formando a Bachiana Filarmônica Sesi-São Paulo, um grupo composto por alguns dos melhores profissionais brasileiros e de jovens que se destacaram no universo da música clássica no País. Hoje é a maior orquestra da iniciativa privada do Brasil.

João Carlos Martins é considerado um dos maiores intérpretes de Bach do século 20. É o único músico brasileiro que teve a sua vida registrada por cineastas europeus por duas vezes: "Die Martin's Passion", uma co-produção franco-alemã dirigida por Irene Langman, e "Revêrie", dos cineastas belgas Johan Kenivé e Tim Herman. (GSP)

Tops da Gazeta