últimas notícias
Luiz Fernando Teixeira de Santana foi atacado por quatro vira-latas, um pitbull e um rotweiller e não resistiu aos ferimentos
Luiz Fernando Teixeira de Santana foi atacado por quatro vira-latas, um pitbull e um rotweiller e não resistiu aos ferimentos
Foto: REPRODUÇÃO/TV GLOBO

Corpo de criança atacada por cães é velado na zona sul

Luiz Fernando, de 10 anos, morreu após pular muro na avenida Cupecê atrás de uma pipa e ser atacado por 6 cães

O corpo do menino Luiz Fernando Teixeira de Santana, de 10 anos, morto após ser atacado por cães em um terreno de uma empresa de ônibus desativada foi velado no início da tarde desta quinta-feira (26) no Cemitério Campo Grande, na avenida Nossa Senhora do Sabará, na zona sul de São Paulo.

A criança morreu na tarde de quarta-feira (25) ao pular o muro de uma empresa para buscar uma pipa na avenida Cupecê, na Cidade Ademar. Ele foi atacado por quatro vira-latas, um pitbull e um rotweiller e não resistiu aos ferimentos.

O CASO

Segundo testemunhas, Luiz pulou o muro para pegar uma pipa no terreno de uma empresa, por volta das 14h, e foi atacado por seis cães.

Ao perceberem o ataque, vizinhos atiraram pedras e pedaços de paus para tentar afastar os animais. Um homem pulou o muro para tentar salvar a criança.

"A criança estava sozinha no momento do ataque. Outra pessoa tentou salvá-la, mas foi mordida na perna e levada ao hospital com ferimentos leves", afirmou o capitão da PM José Ferreira Júnior.

Uma viatura da PM foi até o local assim que informada do ataque. Foi feito um disparo contra um dos cães, que foi abatido. "Assim, conseguiu-se acessar o menino. O socorro foi acionado de imediato", disse Ferreira Júnior.

O helicóptero Águia da PM foi até o local para levar socorro até a criança, que não resistiu ao ataque. "Por cerca de meia hora, tentou-se fazer voltar os batimentos cardíacos, mas foi infrutífero, ele morreu no local e agora estamos preservando o corpo", disse o capitão.

Durante o socorro, mais dois cães foram mortos a tiros ao tentar atacar os PMs e outros três se refugiaram no canil.

Mãe do garoto, a doméstica Rita de Cássia Teixeira dos Santos, 50, conta que viajaria com o filho para ver os fogos em Copacabana, no Rio de Janeiro, na virada do ano. "Sábado iria para o Rio de Janeiro. Estou com a mala arrumada, tudo pronto, mas agora acabou. Não tem mais viagem. Só meu filho que viajou sem mim", disse.

A doméstica afirmou que o filho acordou, tomou um iogurte e foi com ela à casa de amigas no horário do almoço. "Depois, vi que ele estava com uma pipa com outras crianças, mas não esperava que ele fosse vir para cá. Eu não deixava ele ficar solto na rua", disse Rita.

Rita teve cinco filhos e, além de Luiz, perdeu outro, quando o rapaz tinha 24 anos, por causa de um mal súbito. Restaram três mulheres.

Tops da Gazeta