últimas notícias
O presidente da Abrasel, Percival Maricato, diz que o setor ainda negocia a possibilidade de voltar com as mesas nas calçadas
O presidente da Abrasel, Percival Maricato, diz que o setor ainda negocia a possibilidade de voltar com as mesas nas calçadas
Foto: Marcos Santos/ USP Imagens

Prefeitura interdita 75 bares no primeiro fim de semana de reabertura noturna

Desde o início da quarentena na cidade, 559 bares, restaurantes e cafeterias já foram interditados por descumprirem as normas para o combate ao coronavírus

A Prefeitura de São Paulo, gestão Bruno Covas (PSDB), interditou 75 bares desde a última sexta-feira (7) por descumprimento do horário estabelecido de funcionamento. A fiscalização também se atentou se os estabelecimentos estão sendo colocadas mesas na calçada.

Leia mais:

Desde o início da quarentena na cidade, 559 bares, restaurantes e cafeterias já foram interditados por descumprirem as normas para o combate ao coronavírus. Os estabelecimentos estão ainda sujeitos a multa. A desinterdição deve ser solicitada na subprefeitura da região.

Permissão

O governador João Doria (PSDB) anunciou em entrevista coletiva no início da tarde da última quarta-feira (5) que os restaurantes, padarias e outros estabelecimentos de alimentação passariam a ter permissão para funcionar até as 22h nas regiões que estão na fase amarela do Plano São Paulo de retomada das atividades econômicas e sociais, como é o caso da Capital.

“Depois de rigorosa análise, o Centro de Contingência da Covid-19 constatou que não houve impacto negativo nos indicadores epidemiológicos com a retomada gradual do consumo em restaurantes localizados em regiões que estão na fase amarela do Plano São Paulo”, anunciou Doria.

Permanece a determinação de que os restaurantes funcionem por 6 horas diárias, mas passaram a poder distribuir esse horário de funcionamento ao longo do dia. Os estabelecimentos permanecerão com a capacidade máxima permitida de 40%, e somente com clientes sentados. O governador não falou nada especificamente sobre bares.

A extensão do horário de abertura era uma reivindicação do setor. Em entrevista à Gazeta em julho, Percival Maricato, presidente da Abrasel-SP (Associação Brasileira de Bares e Restaurantes de São Paulo), lamentou que as regras não permitiam a abertura de pizzarias e bares, que tradicionalmente funcionam à noite. "Só reabriram os que servem almoço, e entre esses 59% preferiram ficar de portas fechadas. Os que abriram não estão faturando sequer 20% do que faturavam antes”, disse Maricato.

Comentários

Tops da Gazeta