últimas notícias
Salas continuam vazias em SP; Bruno Covas pretende aguardar o resultado do censo sorológico
Salas continuam vazias em SP; Bruno Covas pretende aguardar o resultado do censo sorológico
Foto: Robson Ventura/Folhapress

Gestão Covas adia decisão sobre volta às aulas

Prefeitura adia a decisão de autorizar a volta às aulas em 3 de novembro para a rede pública e privada; Covas pretende aguardar resultado de censo antes da decisão

A Prefeitura de São Paulo adiou a decisão de autorizar a volta às aulas em 3 de novembro para a rede pública e privada da Capital. O prefeito Bruno Covas (PSDB) pretende aguardar o resultado do censo sorológico - os testes do novo coronavírus que estão sendo feitos com alunos e professores da rede municipal e deve ter o resultado divulgado daqui a uma semana - antes de anunciar a data do retorno. As informações são do “Estadão”.

Antes, Covas havia dito que confirmaria o retorno das aulas após o resultado do inquérito sorológico das crianças que foi divulgado nesta terça-feira. A diferença entre censo e inquérito sorológico é que o primeiro será feito em todas as crianças e profissionais que desejarem, já o inquérito é por amostragem.

Leia mais: 

Sob temor, 128 municípios de SP retomam atividades escolares presenciais

"Devemos ter para a próxima semana, na quinta-feira da semana que vem, o resultado do censo que estamos realizando com todos os professores e alunos da rede municipal e a decisão sobre as aulas no dia 3 de novembro", disse o prefeito em coletiva, confirmando a informação do jornal. A ideia da prefeitura seria dar prioridade para a volta às aulas dos estudantes da rede municipal que já tiverem anticorpos para a doença.

De acordo com o levantamento apresentado nesta terça-feira, cerca de 16% das crianças e adolescentes em idade escolar na cidade de São Paulo já tiveram contato com o vírus da Covid-19.

Desde semana passada as atividades extracurriculares estão liberadas em escolas públicas e particulares do Estado, e cabe às prefeituras decidir sobre o retorno. As escolas particulares da Capital estão atendendo com até 20% da capacidade de alunos. Apenas uma creche municipal decidiu pela reabertura na cidade.

Galeria de Fotos

Comentários

Tops da Gazeta