últimas notícias
Rua Maria José da Conceição, na Vila Andrade, zona sul de São Paulo; moradores relatam alta na violência
Rua Maria José da Conceição, na Vila Andrade, zona sul de São Paulo; moradores relatam alta na violência
Foto: Ettore Chiereguini/Gazeta de S. Paulo

Moradores da Vila Andrade relatam aumento de crimes e baixo policiamento

Moradores dizem sentir aumento da criminalidade em bairro da zona sul de São Paulo; números oficiais comprovam sensação

Os moradores da Vila Andrade, na zona sul de São Paulo, relatam aumento de assaltos na região nos últimos meses. Os números comprovam a sensação geral. Dados da Secretaria da Segurança Pública (SSP) mostram que houve um aumento da criminalidade de 30% na região do 89º Distrito Policial, do Portal do Morumbi. No primeiro trimestre deste ano foram registrados 833 casos registrados de roubos e furtos, contra 639 no mesmo período de 2020.

O bairro da Vila Andrade está localizado ao longo da avenida Giovani Gronchi e próximo da Vila Suzana, da Marginal Tietê, da favela de Paraisópolis, do parque Burle Marx e do bairro do Morumbi.

A coordenadora de eventos Flávia Ferreira, síndica de um edifício na rua Maria José da Conceição, contou à reportagem da Gazeta que na última semana dois homens em uma moto assaltaram uma mulher que caminhava pela via.

Ela também disse que em janeiro deste ano um rapaz assaltou uma moça na portaria do edifício. Na fuga, ele foi até uma rua 300 metros adiante, onde também tentou roubar uma senhora. Um PM passava no local e houve um tiroteio. O suspeito foi atingido e acabou morrendo.

Flávia ainda contou ter presenciado crimes na rua Castelhano, próximo a seu edifício.

“Aqui é uma região muito escura, com muitas áreas arborizadas. Tem áreas muito escuras, e eles aproveitam para fazer esse tipo de assaltos. Infelizmente, é um problema recorrente”.

Segundo ela, após casos de crimes a polícia começa a aparecer mais, mas por poucos dias.

“Quando acontece um caso, a polícia passa um, dois dias na rua, às vezes faz até uma blitz, mas com o tempo isso vai ficando cada vez mais espaçado. Não temos uma resposta efetiva. Aqui no bairro a gente tem a vigilância solidária, então os prédios se comunicam quando alguma coisa acontece, mas acaba não sendo tão efetivo. A presença da polícia aqui é pouca, a gente tem pouca viatura passando, pouca presença da polícia”, se queixa ela.

Uma outra moradora, que preferiu não se identificar, se disse "uma baita sortuda" por nunca ter sido assaltada nos cinco anos em que vive no bairro, mas explicou que já soube de casos de violência contra pessoas que vivem próximo a ele. "Nosso vizinho já foi sequestrado, muitos foram roubados, já vi de cima do prédio gente sendo roubada", disse.

Em 2018, a Gazeta também esteve no local, quando mostrou que os moradores temiam o alto número de assaltos no bairro

Contatada, a Secretaria de Segurança Pública (SSP) do Estado de São Paulo informou que “o policiamento na região da Vila Andrade, realizado pelo 16º BPM, será reforçado”.

Ainda de acordo com a SSP, no primeiro trimestre deste ano, o trabalho das Polícias Civil e Militar possibilitou a prisão de 212 criminosos, recuperação de 69 veículos furtados ou roubados e apreensão de 9 armas ilegais na região.

Leia a nota na íntegra:

“O policiamento na região da Vila Andrade, realizado pelo 16º BPM, será reforçado. O efetivo atua por meio dos programas Força Tática, de Ronda Escolar, ROCAM e Policiamento Comunitário. No primeiro trimestre deste ano, o trabalho das Polícias Civil e Militar possibilitou a prisão de 212 criminosos, recuperação de 69 veículos furtados ou roubados e apreensão de 9 armas ilegais na região. Todo policiamento ostensivo e preventivo na região é reorientado pela PM, quando necessário, com base na análise dos índices criminais e nas denúncias dos moradores.

O efetivo atua por meio dos programas Força Tática, de Ronda Escolar, ROCAM e Policiamento Comunitário. No primeiro trimestre deste ano, o trabalho das Polícias Civil e Militar possibilitou a prisão de 212 criminosos, recuperação de 69 veículos furtados ou roubados e apreensão de 9 armas ilegais na região.

O registro do boletim de ocorrência é importante para que os casos sejam devidamente investigados, para embasar as políticas públicas de segurança e para reorientar o policiamento. A pessoa pode comunicar os fatos em qualquer distrito policial no Estado de São Paulo ou pela Delegacia Eletrônica:(https://www.delegaciaeletronica.policiacivil.sp.gov.br/ssp-de-cidadao/home).

 

Comentários

Tops da Gazeta