últimas notícias
UBSs tiveram grande movimentação na manhã desta sexta-feira em SP
UBSs tiveram grande movimentação na manhã desta sexta-feira em SP
Foto: Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil

Capital inicia aplicação da 2ª dose da Pfizer com intervalo reduzido

O intervalo de aplicação entre a primeira e a segunda dose do imunizante foi reduzido de 12 para 8 semanas; UBSs tiveram grande movimentação na manhã desta sexta

A cidade de São Paulo iniciou nesta sexta-feira (24) a aplicação da segunda dose da vacina da Pfizer com intervalo reduzido de 12 para 8 semanas, seguindo o calendário estadual.

Postos de saúde no centro e na zona leste registraram filas, principalmente de pessoas que buscaram antecipar a segunda dose. 

Segundo a gestão Ricardo Nunes (MDB) serão vacinados todos aqueles que tomaram a primeira dose em até 56 dias, ou seja, até 30 de julho, e assim sucessivamente. Neste período, pessoas de 28 a 41 anos foram imunizadas pelo cronograma municipal. 

Nas UBSs visitadas pela reportagem houve até quem ficou arrepiado por conseguir se imunizar antes do previsto, caso do bancário Edmar Moreira Homem Júnior, 34 anos. Com a vacinação prevista para ocorrer em 4 de outubro, ele não se importou em permanecer por 30 minutos na fila na UBS Mooca 1 (zona leste) para ser imunizado. "Estou até arrepiado. Me sinto privilegiado por poder tomar a segunda dose", disse. 

O bancário ainda detalhou como será sua rotina daqui para frente. "Eu vou começar a sair de casa. Estou reaprendendo a sair", afirmou. 

Quem também não se importou com a fila foi a servidora pública Kátia Macedo, 37. A mulher relatou ter ficado por cerca de uma 1h15 em uma fila com 70 pessoas à sua frente na UBS Nossa Senhora do Brasil, na Bela Vista (região central), mas nada que tirasse a felicidade. Sua segunda dose estava marcada para 7 de outubro. "É um grande alívio, mas vou continuar me precavendo, ficando longe de aglomerações, festinhas ou barzinhos", disse. 

Kátia usava uma máscara vermelha em que podia se ler "Fora Bolsonaro". Ao ser questionada sobre o uso do adereço pedindo a saída do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), ela reclamou de "descaso com a saúde". 

Diferente da servidora, que ainda se demonstrou preocupada em sair às ruas, a analista financeira Vanessa Teixeira Nogueira, 40, que estava na mesma UBS, se mostrou animada para retomar a rotina. "Quero ir ao cinema, teatro, ir ao samba", afirmou. Segundo ela, o reforço na imunização a faz ter um pouco mais de coragem para voltar a transitar pelos locais onde transitava antes. 

A antecipação da vacina também foi motivo de comemoração pelo analista de sistemas Leonardo Silva Jorge, 30. O jovem não encontrou fila para ser vacinado na UBS Humaitá, também na Bela Vista. Para ele, a imunização não deve ser encarada apenas como uma vitória pessoal, mas coletiva. 

"Ajuda a não disseminar a doença", afirmou. "A questão da vacina não é só para você, é para a população inteira", disse o analista. Mesmo imunizado com a segunda dose, ele afirmou que vai continuar seguindo as orientações de prevenção à Covid-19. 

Com relação às outras vacinas, o intervalo para a segunda dose segue sendo de 12 semanas para AstraZeneca e 28 dias para Coronavac. 

Xepa 

A redução de intervalo entre as vacinas também pode ocorrer por meio das doses remanescentes, a chamada xepa: 30 dias de intervalo em relação à primeira dose para AstraZeneca e Pfizer, e 15 dias para a Coronavac. É necessário ir até uma UBS (Unidade Básica de Saúde) para realizar a inscrição. 

Desde quinta feira (23), profissionais de saúde a partir de 18 anos também podem se inscrever para a xepa, mas para terceira dose. 

As doses da xepa são aquelas que sobram em frascos abertos, mas não são aplicadas no público-alvo da campanha em horário próximo ao fechamento dos postos de saúde. 

Após abertos os frascos, as doses vencem depois de seis (no caso da AstraZeneca/Oxford e da Pfizer) e oito horas (a Coronavac, da Sinovac/Butantan). 

Para ter direito às doses é preciso se inscrever no posto de saúde mais perto de casa ou do trabalho, para conseguir chegar rapidamente quando um atendente ligar informando sobre a sobra. 

A Secretaria informou que a aplicação das doses remanescentes ocorre para evitar desperdício dos imunizantes. Assim, ela está sujeita à disponibilidade ao final do dia nas unidades. No mês de setembro, têm sido aplicadas, em média, 500 doses por dia, diz a pasta.

Comentários

Tops da Gazeta