últimas notícias
A Prefeitura de São Paulo prevê adiar a liberação do uso de máscaras em ambientes externos com o surgimento da variante Ômicron
A Prefeitura de São Paulo prevê adiar a liberação do uso de máscaras em ambientes externos com o surgimento da variante Ômicron
Foto: Tomaz Silva/Agência Brasil

Prefeitura de SP teme variante ômicron e pode adiar liberação de máscaras em ambientes abertos

Prefeitura pretendia seguir o cronograma do Estado e iniciar a flexibilização no dia 11 de dezembro; Instituto Adolfo Lutz investiga caso de morador de Guarulhos que passou pela África do Sul e testou positivo para Covid-19

A Prefeitura de São Paulo prevê adiar a liberação do uso de máscaras em ambientes externos com o surgimento da variante ômicron. A cidade pretendia seguir o cronograma do governo do Estado e liberar o uso de máscaras no dia 11 de dezembro.

Nesta segunda-feira (29), o secretário de Saúde municipal, Edson Aparecido, considerou precipitado manter a previsão de liberação para os próximos dias. 

A variante é considerada aquela com maior número de mutações, e foi registrada pela primeira vez na África do Sul. 

A prefeitura aguarda o resultado de um estudo próprio que deve ser divulgado no dia 6 de dezembro, a data prevista para a análise solicitada.  


GRANDE SP.

No domingo (28), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou que um passageiro brasileiro com passagem pela África do Sul e que desembarcou em Guarulhos, na Grande SP, testou positivo para a Covid-19.

Não há confirmação se o caso é da variante ômicron. O Instituto Adolfo Lutz está investigando o caso, e a previsão é que a análise fique pronta em até cinco dias.

O paciente, que já está em isolamento, tem esquema vacinal completo. É um homem, de 29 anos, morador de Guarulhos, que veio da Etiópia. Ele agora está em casa e tem apenas sintomas leves da doença.

ALERTA. 

Nesta segunda-feira (29), a Organização Mundial da Saúde (OMS), disse que a variante ômicron do coronavírus representa um risco muito elevado para o planeta.

A organização também afirmou que há muitas dúvidas sobre a variante, especialmente sobre o perigo real que representa.

Países têm suspendido voos vindos de países africanos, desde a semana passada, na tentativa de conter a disseminação da variante, que já foi confirmada em todos os continentes

Comentários

Tops da Gazeta