últimas notícias
Realização de exame PCR para Covid-19.
Realização de exame PCR para Covid-19.
Foto: SESI/Vinicius Magalhaes/AB

Contra 'Flurona', SP faz dupla testagem em postos de saúde

Segundo a secretaria, primeiro será feito teste rápido de antígeno para Covid e, em caso de resultado positivo, será usado o teste do tipo PCR

A partir desta quarta-feira (5), a Prefeitura de São Paulo começa a fazer dupla testagem de Covid-19 e influenza em pessoas com sintomas gripais. De acordo com o Secretaria Municipal da Saúde, cerca de 300 mil conjuntos de testes devem ser usados nos próximos 15 dias em todas as 469 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) da Cidade. 

De acordo com o secretário Edson Aparecido, a ideia é fazer um painel mais preciso para avaliar como está a transmissão dos dois vírus na cidade, e, principalmente, o avanço da variante ômicron do novo coronavírus. 

"A partir desse resultados poderemos definir novas ações", afirmou o titular da pasta da Saúde, que acompanhou o início da testagem na UBS Santa Cruz, na zona sul da capital. A primeira pessoa testada, uma mulher com sintomas de gripe, teve resultado positivo para Covid-19. 

Segundo a secretaria, primeiro será feito teste rápido de antígeno para Covid. "O resultado sai em 15 minutos e, se der positivo, será aplicado o teste RT-PCR", disse Aparecido. 

Caso o teste para Covid dê resultado negativo, será realizada a testagem para influenza. 

Fora da rede pública, em meio a essa alta procura, pacientes encontram dificuldade para agendar um horário para realizar testes para Covid em farmácias de São Paulo. 

Antes, para fazer o teste, bastava agendar para o mesmo dia. Agora, é comum ter de esperar pelo menos dois dias e, alguns casos, até cinco. 

ALTA 

O secretário admitiu que os casos de Covid cresceram cerca de 30% na cidade nas últimas semanas. Ele lembrou que análises preliminares apontaram para a prevalência de cerca de 50% da ômicron entre os infectados. O percentual pode ser ainda maior, já que os números, divulgados nesta terça-feira (4), de sequenciamento realizado pela secretaria e pelo Instituto Butantan são referentes à semana dos dias 12 a 18 de dezembro. 

"Com essa testagem, vamos poder avaliar com mais precisão a transmissão pela variante", afirmou Aparecido. 

Sobre a gripe, o secretário admitiu que há lotação. Somente nos três primeiros dias de janeiro foram foram realizados pouco mais de 20 mil atendimentos a pessoas com sintomas respiratórios, sendo 11.585 suspeitos de Covid-19. 

Na AMA Sorocabana, na Lapa (zona oeste), o jornal Folha de S.Paulo mostrou que a espera para atendimento chegava a cinco horas na terça-feira. 

Segundo a secretaria, cerca de 80% dos 406 leitos do Hospital Municipal da Brasilândia, na zona norte da cidade, estão com pacientes com síndrome gripal. Por isso, outros 229 leitos foram reservados no Hospital Municipal da Guarapiranga, na zona sul, apenas para pessoas com sintomas de gripe. 

Por causa do surto, em dezembro de 2021 foram registrados 286.858 atendimentos a pessoas com quadro respiratório, contra 111.949 atendimentos de pacientes com sintomas gripais em novembro, uma alta de 156%. 

Os dados de atendimentos na rede municipal de saúde mostram que dispararam os casos suspeitos de Covid-19. Em novembro, foram 56.220 pacientes com sintomas. Já no mês passado, o número subiu para 133.501 suspeitas do coronavírus, uma alta de 137,6%. 

Atualmente, as unidades de saúde estão vacinando contra a Covid-19 e contra a gripe. As pessoas, afirmou a pasta, podem, inclusive, tomar as duas vacinas no mesmo dia.

Comentários

Tops da Gazeta