X

CASO MARIELLE FRANCO

O que expõe o caso Marielle Franco

Trata-se de uma tríade de personagens que figura vez ou outra na história nacional envolvendo casos de morte e corrupção

Célio Egídio

Publicado em 30/03/2024 às 13:30

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Marielle Franco / Renan Olaz/Câmara Municipal do Rio

Marielle Franco foi assassinada em março de 2018, por vários disparos de arma de fogo, que também ceifavam a vida de seu assessor parlamentar. Hoje, sabemos que os autores eram ex-membros das forças policiais do Rio de Janeiro. Vereadora combativa, defendia a melhoria de vida nas periferias e da população pobre. Embora detivesse alto eleitorado na região nobre da cidade.

Siga as notícias da Gazeta de S.Paulo no Google Notícias

Nos últimos dias, seu caso voltou aos jornais: após anos de investigação chegou-se aos mandantes do crime. De imediato, foram presos preventivamente, os irmãos Brazão, família de políticos do Rio de Janeiro e o ex-chefe da Polícia Civil, que comandou as investigações à época. Esse caso, tornou-se emblemático não somente para as páginas policiais, mas para a compreensão da política brasileira. 

Um político de carteirinha, um membro da alta corte de Contas carioca e um Delegado de Polícia. Trata-se de uma tríade de personagens que figura vez ou outra na história nacional envolvendo casos de morte e corrupção.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Um político dirigindo interesses escusos, um membro da corte de contas para o ajuste de todas dos gastos públicos e por fim um delegado de polícia para a abafar as investigações, que sejam de interesse. O carro usado para o crime foi parar em um desmanche (receptação). Os executantes eram ex-policiais militares. No curso das investigações, foram vários os suspeitos de serem mandantes, houve até a tentativa de envolver Jair Bolsonaro (PL), mas o declarante-denunciante voltou atrás em suas afirmativas.

Marielle Franco não deixou somente um legado para a luta dos excluídos, seu caso expõe a verdadeira face do Estado brasileiro que promove, pelos seus próprios membros, a violência tão atacada por ele mesmo. Nesse fogo cruzado está a população, que distante dos mármores da articulação do crime sofre no seu cotidiano ou fugindo de uma bala perdida ou de um político corrupto.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Não perca essa oportunidade

Cidade no interior de SP encerra inscrições de novo concurso nesta sexta

Prefeitura Municipal de Jahu têm processo seletivo têm salários que chegam a R$ 6.008,73

DROGAS NO LITORAL

Depósito com uma tonelada de cocaína é encontrado no Guarujá

Cães farejadores encontraram as drogas em meio a sucatas

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter