Publicidade

X
PREPARE O BOLSO

Alta no valor do leite vai se intensificar com chegada do período das 'vacas magras'

Com aproximação do inverno, preço do leite deve aumentar ainda mais nos próximos meses

Publicidade

Derramando leite no jarro / VadimVasenin

A disparada no preço do leite observada a partir da segunda quinzena de fevereiro deve se intensificar ainda mais nos próximos meses. O motivo é a aproximação do inverno. Nessa época do ano, os dias ficam mais curtos e as noites mais longas. E isso retarda o crescimento do capim. Com menos chuva no Centro-Sul do País, o que resta de pasto fica seco, fibroso, pouco palatável para as vacas...

Com isso, o pecuarista precisa suplementar a alimentação no cocho para evitar que os animais emagreçam demais e a produção de leite caia de forma drástica.

Aí, começa uma ciranda, um círculo vicioso, que vem atacando o bolso do consumidor e ampliando a insegurança alimentar nos lares brasileiros.

Como os principais complementos alimentares são à base de soja e milho, o preço desses insumos têm disparado nos últimos meses, a exemplo de outros derivados como o óleo de soja e as rações para animais domésticos.

Só o produtor mais precavido passará pelas ‘vacas magras’ com menor aperto nos custos. Só quem plantou cana no verão de 2021 terá, agora, algum complemento para dar às vacas a custo ‘zero’. Picada e misturada à uréia, a cana pode suprir, em parte, a proteína que estimula os animais a produzir leite...

Em março, o leite longa vida subiu 8,3% no varejo em São Paulo, segundo o Cepea/USP. Na média, os lácteos tiveram alta de 6% no mês passado no Estado.

Detalhe: a soja que encarece leite, rações e óleo de cozinha no supermercado bateu recorde nas exportações no primeiro trimestre, com aumento de 36% nos embarques para o exterior na comparação com o mesmo período de 2021.

Mais: a exportação diária do milho que encarece pães, rações e óleo de cozinha no supermercado cresceu 264% neste mês, na comparação com abril de 2021.

E os lucros em dólar vão para os grandes fazendeiros do agro, que ‘é tech, que é pop, que é tudo’...

Os dados são da Secretaria de Comércio Exterior do Governo Federal.

Estagflação

A Empresa de Pesquisa Energética, o Operador Nacional do Setor Elétrico e a Câmara de Comercialização de Energia reduziram a previsão de crescimento na demanda por eletricidade em 2022. Com a economia mais fraca que o previsto no final de 2021, agora, os três órgãos preveem crescimento de só 1,7% no consumo em 2022.

O sabor, a vida saudável...

A estatal Embrapa desenvolveu uma tecnologia capaz de revolucionar a produção de cajá, sucesso absoluto na culinária nordestina. A técnica adiciona fertilizantes à água usada na irrigação dos pomares. Com isso, é possível ampliar a produtividade das cajazeiras em até cinco vezes.

...e a caipirinha...

A fruta tem poucas calorias, é rica em fibras, fósforo, ferro e cálcio, além de ser fonte de vitaminas A, B e C.

...do Nordeste!

Além do consumo in natura, a fruta vai bem como suco, sorvete, licores, vinho, geleia e na caipirinha. SP é o principal consumidor fora do Nordeste...

Filosofia do campo:

“A solução dos problemas humanos terá que contar com a literatura, a musica, a pintura, enfim com as artes. O homem necessita de beleza como necessita de pão e de liberdade”, Jorge Amado (1921/2001), escritor baiano.
 

Deixe a sua opinião

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

GRANDE SP

Taboão da Serra passa a realizar testes de Covid apenas nas UBSs

O atendimento para os testes ocorre de segunda a sexta-feira, das 8h às 15h, nas 13 UBSs da cidade

Inclusão

TRF suspende liminar que obrigava IBGE a incluir orientação sexual no Censo

Instituto argumenta que não teria tempo hábil nem orçamento suficiente para fazer o acréscimo das perguntas de forma adequada no levantamento

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software