Publicidade

X

Saúde

Precisamos combater a dengue

É sabido que ano após ano, com a chegada da estação das chuvas, os casos da doença aumentam no País inteiro

Nilto Tatto

Publicado em 14/02/2024 às 18:38

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Mosquito transmissor da dengue, Aedes Aegypti / Divulgação/Fiocruz

Em 2024, a dengue voltou a preocupar os brasileiros. É sabido que ano após ano, com a chegada da estação das chuvas, os casos da doença aumentam no País inteiro. Desta vez, no entanto, as emergências climáticas e o aquecimento global criaram condições ainda mais favoráveis para a proliferação do aedes aegypti e com ele, o aumento vertiginoso nos casos de dengue. 

Em São Paulo, os casos dispararam: a secretaria de saúde do Estado confirmou 10.728 infecções nas 3 primeiras semanas do ano. São 2262 casos a mais do que no mesmo período do ano passado, um aumento de quase 30%. Na capital paulista o número aumentou proporcionalmente ainda mais: só nas 3 primeiras semanas do ano foram 1.792 casos, quatro vezes mais do que no ano passado. 

Infelizmente, tanto o governo do Estado, quanto a prefeitura de São Paulo não estão dando a devida importância para o assunto. A boa notícia é que o governo Federal criou um painel de monitoramento dos casos em tempo real e já começou a adquirir vacinas, que estão sendo aplicadas nas regiões que concentram os maiores números de casos. A aplicação só não é universal ainda devido à baixa disponibilidade de doses ofertadas pelo fabricante.

Atualmente, o governo Federal está se empenhando na vacinação de mais de 500 municípios com maior incidência da doença. A estratégia de enfrentamento da dengue adotada pelo governo brasileiro é inédita, já que trata-se do primeiro e até agora único País do mundo a disponibilizar a vacina no sistema público. Mas enquanto não há no mercado disponibilidade suficiente de imunizantes para toda a população, nós teremos que seguir tomando todos os cuidados necessários. 

Não deixar água parada; deixar sempre tampados recipientes como caixas d'água, baldes, cisternas, tonéis, jarras e filtros; não deixar acumular água em pratinhos de vasos e xaxins; entregar pneus velhos ao serviço de coleta ou guardá-los em locais cobertos; limpar com frequência as calhas e a laje; manter o quintal limpo e não jogar entulho em praças, construções e canteiros. Já que o governador Tarcísio e o prefeito de São Paulo, Ricardo Nunes, não cuidam do povo, vamos fazer a nossa parte e evitar ainda mais contaminações e mortes por dengue.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

SEGURANÇA PÚBLICA

Sindicato protesta contra Derrite por exclusão da Polícia Civil de operação em SP

Presidente do sindicato dos delegados disse que decisão de Derrite de dar mais protagonismo à PM em detrimento à Polícia Civil pode 'fragilizar a estrutura policial'

Programa Jovem Aprendiz

Em busca do primeiro emprego? Empresa Raízen está com 240 vagas abertas

Interessados em se candidatar devem ter entre 16 e 21 anos; não é necessário ter experiência prévia

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter