últimas notícias
Bruno Hoffmann
Coluna
Por falta de tempo, o primeiro trecho do Parque Minhocão não sairá neste ano
Por falta de tempo, o primeiro trecho do Parque Minhocão não sairá neste ano

Prefeitura quer instalar elevadores no Minhocão

O secretário de Desenvolvimento Urbano conta que essa é a intenção da prefeitura e explica que o local deverá contar também com estruturas provisórias de lazer e acessibilidade aos fins de semana

O Minhocão terá elevadores e escadas para acesso do público em horários em que a via estiver fechada para automóveis já em 2020. Em entrevista a esta coluna, o secretário de Desenvolvimento Urbano, Fernando Chucre, conta que essa é a intenção da gestão municipal e explica que o local deverá contar também com estruturas provisórias de lazer e acessibilidade aos sábados e domingos. Por falta de tempo, o primeiro trecho do Parque Minhocão não sairá neste ano. “Mas já existe um parque na prática, o quinto mais frequentado da cidade, por isso as intervenções”, diz Chucre. A gestão Bruno Covas defende a criação do parque, em vez da derrubada da estrutura, como é a tese defendida por outros grupos.

'Irresponsável'.

Se depender do vereador Caio Miranda Carneiro (PSB), porém, o elevador e as outras novidades anunciadas pelo secretário para o Minhocão não vão sair do papel. Defensor do desmonte da via, ele diz que gastar dinheiro no local antes de definir o seu destino “beira a um ato criminoso”. “Vamos levar até a última consequência na Justiça para impedir. A forma como estão fazendo isso é quase criminosa, irresponsável e revoltante. Não entendo qual é a fixação deles em fazer isso correndo desse jeito”, disse a esta coluna. Para ele, é inclusive “uma burrice política” propor a criação do parque em ano de eleição. “A população não quer a porcaria desse parque”. O vereador propõe um plebiscito para que o povo decida o destino do Minhocão.

Previdência.

A Assembleia Legislativa de SP (Alesp) foi palco de discussões e até de agressões entre deputados durante os debates da reforma da Previdência paulista na noite de quarta-feira (19). A confusão ajudou a adiar a segunda votação da reforma, que havia sido aprovada de forma inicial no dia anterior, com 57 votos a favor, o mínimo necessário para que a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) seguisse adiante. A segunda votação está marcada para 3 de março.

Venda de animais.

Projeto de lei do vereador Rodrigo Goulart (PSD) quer acabar com o comércio de cães e gatos em pet shops na cidade de São Paulo. Segundo o vereador, apesar da fiscalização, ainda são comuns casos em que fêmeas e filhotes são maltratados e expostos a más condições de higiene e segurança. “É dever do poder público fiscalizar a venda de animais”, afirma o vereador, que também é médico-veterinário. A multa prevista para quem infringir a lei é de R$ 10 mil. Em caso de reincidência o estabelecimento poderá ser fechado. O PL não tem data para ser votado na Câmara Municipal.

eSports.

O deputado estadual Tenente Coimbra (PSL) criou a Frente Parlamentar em Prol dos Games e eSports na Alesp. “Vamos ouvir jogadores, empresas, indústrias, desenvolvedoras e publishers para desenvolver e incentivar ainda mais o setor e impedir regulamentações que o prejudiquem”, diz Coimbra. Em 2020, o setor de jogos eletrônicos deve movimentar 1,5 bilhão de dólares no mundo e seus campeonatos serão assistidos por mais de 450 milhões de pessoas.

'Abutres não têm limites'

Deputado estadual Arthur do Val (Patriota), ao criticar o apresentador Luiz Bacci e a “TV Record” por anunciarem ao vivo a uma mulher que a sua filha havia morrido; a mãe desmaiou logo em seguida.

Comentários

Tops da Gazeta