X

ESTÁDIOS DE FUTEBOL EM SP

A diferença dos estádios famosos para campos menores de São Paulo

Torcedores apaixonados exaltam estádios pequenos do interior e do ABC, e explicam a diferença para as grandes arenas da Capital

Leonardo Sandre*

Publicado em 20/05/2022 às 14:42

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Estádio Cícero Pompeu de Toledo, o Morumbi / Leonardo Sandre/Gazeta de S.Paulo

No estado de São Paulo há campos de futebol famosos pela estrutura e ostenção, mas há também diversos estádios de menor porte que não possuem uma grande estrutura e mesmo assim recebem torcedores apaixonados. É como se dissessem: a paixão não tem tamanho.

Bernardo Bueno, torcedor do Palmeiras e aluno da Unicamp, contou à reportagem a diferença que notou ao assistir a jogos no Allianz Parque (estádio do Palmeiras) e no estádio Major Levy Sobrinho, da Internacional de Limeira, interior de São Paulo, começando pela característica do público presente nos jogos da equipe do Interior:

“Sinto principalmente [em Limeira] uma torcida que abraça o clube, e mais composta por um público idoso, com forte presença de organizadas na proporção, com exibição de fanatismo nos cantos e instrumentos, mesmo que em um público relativamente pequeno”, contou.

Ao ser questionado sobre a diferença de estrutura, Bernardo falou sobre como a considera ultrapassada:

“Dentre minhas principais observações percebo o quanto são limitados os recursos do clube. As poucas estruturas que tem são basicamente obsoletas e antigas, muito inadequadas para os dias de hoje. Em relação a comida, notei que o Allianz tem um padrão de consumo mais elitista, com cobranças muito acima da média, em Limeira os preços são visivelmente mais acessíveis. Mas tanto os banheiros como as lanchonetes têm estruturas precárias”, finalizou.

Estádio Major Levy Sobrinho, o Limeirão, da Inter de Limeira, interior de SP (Foto: Bernardo Bueno)

Segundo outros torcedores do Palmeiras consultados, um dos alimentos mais baratos vendidos durante o jogo é a pipoca, que custa cerca de R$ 10, e são vendidas na arquibancada. Um copo d’água custa mais de 5 reais, e refrigerantes na casa dos R$ 8.

Na lanchonete, os lanches chegam até a 35 reais, dependendo do sabor. Houve um consenso ao afirmar que os preços durante os jogos são muito elevados.

Além de frisar que o valor do ingresso também é de uma diferença grotesca: dependendo da competição e do setor escolhido, os valores chegam a ser quase R$ 100 mais caros.

Ao menos, não houve críticas sobre a estrutura da Arena do Palmeiras. Banheiros, arquibancadas de todos os setores, estacionamentos, embora caros, foram elogiados por sua ótima estrutura, dando assim conforto para o seu público.

Allianz Parque, estádio da SE Palmeiras, um dos mais modernos do País (Foto: Reprodução)

O estádio particular mais tradicional do estado de São Paulo, o Morumbi, estádio do São Paulo FC, mesmo com estrutura mais antiga que a da arena do Verdão, conta com preços semelhantes nos alimentos, e um suporte muito bom, se comparado aos menos estádios. A diferença está no valor do ingresso: a meia-entrada custa em média de R$ 10 a 15 reais no setor popular.

João Neres, frequentador do Estádio Municipal 1º de Maio, do São Bernardo FC, também comentou sobre a estrutura do estádio em comparação com estádios mais conhecidos:

A estrutura conta muito, principalmente em dias chuvosos, ou para conforto caso opte por camarote. Banheiros são um ponto baixo do estádio. Em dias de jogos a desorganização pra comprar ingressos e entrar é impressionante. A equipe responsável por atender os pagantes. não tem o mínimo de experiência com o público. A compra de lanches e souvenires também fica a desejar”, disse João.

Mesmo levando em conta o valor mais acessível das lanchonetes destes estádios menores, com lanches na casa dos R$ 12, o atendimento algumas vezes não é tão bom.

Estádio Primeiro de Maio, do São Bernardo FC, no ABC Paulista - (Foto: Reprodução)

O público de times de menor relevância nacional conta com muito amor à camisa, porém acaba não recebendo tanto suporte quanto aos torcedores dos clubes maiores. Mas nada que abale a paixão de um verdadeiro torcedor para fazer sua festa. 

Enquanto falta dinheiro para investir para o maior conforto desses torcedores, há estádios vazios e construídos em lugares que não possuem público o suficiente para usufruir. Com isso, acaba por deixar assim a arena esquecida no mapa, como acaba sendo o caso de alguns estádios construídos para a Copa do Mundo em 2014.

Não é o caso dos campos de torcedores apaixonados pelo interior do País.

*Estagiário sob supervisão

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

ZONA SUL

Homem não consegue furtar e taca fogo em loja da Oxxo em SP

Suspeito teria confessado o crime e dito que já havia incendiado uma outra unidade da mesma rede

INTERIOR PAULISTA

Idoso 'atropela' 8 motocicletas estacionadas em SP

Homem estava estacionando o carro quando perdeu o controle da direção e causou o acidente

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter