X

POLÊMICA

Abel Ferreira é comparado a goleiro Bruno e chamado de 'responsável social pela violência doméstica'

A atitude de Abel de chutar um microfone após a arbitragem não assinalar um escanteio a favor do Palmeiras foi usada pelos profissionais como base do argumento

Leonardo Sandre

Publicado em 31/01/2023 às 14:32

Atualizado em 08/02/2023 às 13:24

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

O treinador palmeirense Abel Ferreira foi novamente alvo de duras e polêmicas críticas vindas de dois jornalistas após a conquista da Supercopa do Brasil / Reprodução

O treinador palmeirense Abel Ferreira foi novamente alvo de críticas duras, polêmicas e controversas vindas de dois jornalistas após a conquista da Supercopa do Brasil. A mera atitude do técnico de chutar um microfone depois da arbitragem não assinalar um escanteio a favor do Palmeiras foi usada pelos profissionais como base do argumento.

Veja o instante do chute citado:

Diogo Olivier, da Rádio Gaúcha, fez uma comparação extremamente radical e polêmica ao comparar que o comportamento do português poderia ser de um psicopata, como do ex-goleiro Bruno, que foi condenado por envolvimento no assassinato brutal da mãe do seu filho.

Diogo falou na Rádio Gaúcha que “se o cara ganhou, bota um psicopata lá, ele tá ganhando, tá tudo certo. É a história do Bruno, goleiro do Flamengo. Ele foi goleiro do Flamengo um tempão, ninguém se preocupou em saber como ele era… E ele era um assassino. Aí não pode”. O jornalista chegou a ser interrompido por colegas que desaprovaram imediatamente a comparação.

Pelas redes sociais, a grande maioria dos internautas também se mostrou contrária à fala do jornalista, considerando a comparação absurda e descabida.

Já Milly Lacombe, do UOL Esporte, que recentemente se envolveu em polêmica com o comentarista Pedrinho correlacionou a atitude de Abel à violência doméstica, dizendo que o comportamento agressivo do técnico dentro de campo poderia ser um espelho para que os homens se sentissem autorizados a tomar atitudes negativas.

Veja o trecho:

"A primeira observação, então, seria a de que o futebol tem que incluir responsabilidade social. São muitos os que, vida afora, se inspiram em seus ídolos.

Quando vemos o líder e ídolo do time fazer o que Abel faz a gente pode se autorizar a fazer o mesmo ou subir o tom. Se o Palmeiras vence, beleza, fica tudo bem. Mas e se perde?

E a segunda, relacionada à primeira, é o triste entendimento de que, em dias de jogo, a violência doméstica aumenta no Brasil. Mulheres apanham mais, sofrem mais, morrem mais

Esses são fatos, não achismos. São pesquisas, não sensacionalismo."

Palmeiras se pronuncia

Após os ataques, o Palmeiras emitiu a seguinte nota oficial:

“A Sociedade Esportiva Palmeiras repudia, mais uma vez, os ataques irresponsáveis direcionados ao técnico Abel Ferreira por alguns jornalistas descompromissados com a isenção e o respeito. É inaceitável que um treinador de insuspeita integridade seja associado a qualquer forma de violência, quanto mais a uma pessoa condenada por homicídio. O clube e o técnico tomarão as medidas judiciais cabíveis”.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Reforma no interior

Prefeitura de Nova Europa abre licitação de R$ 360 mil para reforma de escola municipal

Início de recebimento das propostas será a partir do dia 18 de junho e da disputa de preço será dia 2 de julho

PROPAGANDA ANTECIPADA

Pré-candidata do Novo critica valor de multas a Lula e Boulos

TRE-SP condenou Lula a pagar R$ 20 mil por propaganda antecipada, enquanto Boulos foi multado em R$ 15 mil

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter