X

Boxe

'Charles do Bronx inspira novos lutadores de Guarujá', diz primeiro treinador

Para Ericson Cardozo, o lutador é um exemplo perfeito para as novas promessas do esporte, como Marcelo Prado e Jeferson Capone

Igor de Paiva

Publicado em 12/11/2023 às 07:00

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Ericson Cardozo é fundador da Bronx, academia que já conta com polos por todo o Brasil / Divulgação

A presença de Charles “do Bronx” de Oliveira nos maiores palcos do mundo das artes marciais trouxe ainda mais holofotes para o nascimento de grandes atletas oriundos do Guarujá. Para Ericson Cardozo, primeiro treinador do astro do UFC, o lutador é um exemplo perfeito para as novas promessas do esporte, como Marcelo Prado e Jeferson Capone.

Faça parte do grupo da Gazeta no WhatsApp e Telegram.
Mantenha-se bem informado.

Para Cardozo, fundador da academia que serve como alcunha para Charles, a Bronx, o Jiu-jítsu, assim como outras artes marciais, tem grandes representantes para o futuro. No entanto, ele também fez um alerta para a nova geração.

“Existem várias pessoas, não só dentro da minha equipe, como fora. Hoje eu acho muito mais difícil, existem muito mais distrações, a internet, meia dúzia de curtidas já transforma a mente de uma pessoa. Mas aqui, o Guarujá, sempre foi celeiro de campeões. Aqui comigo temos o Marcelo e o Jeferson que, com certeza, eu falo pra você,  daqui a dois ou três anos estarão dando um grande exemplo dentro da cidade e se tornarão grandes atletas”, explicou.

Mesmo após a saída de Charles de seu corpo de atletas, fato que aconteceu em meados de 2016, o mestre utiliza o maior finalizador do evento mais grandioso de lutas do mundo como espelho para os novos competidores. Dentro de suas maiores qualidades, Cardozo explicou que o peso-leve brasileiro sempre contou com muito foco em seus objetivos, algo que serviu como divisor de águas em sua carreira.

Somado a isto, o treinador deixou claro que a fórmula secreta para chegar ao maior nível possível é fruto de bastante sacrifício.

“Primeiro é estar disposto a fazer sacrifícios, a aprender a lidar com perdas e ganhos. E esperar o momento certo, né? Encontrar uma boa escola, um lugar onde realmente você vai ter um direcionamento, onde você não vai ter só um aprendizado de arte marcial, mas também vai aprender a sobre a vida. A se portar frente aos outros, a ter uma postura correta, a saber lidar. Volto a dizer, com as perdas e ganhos, e saber lidar com o sucesso, a visibilidade”, explicou.

VIDA DE MENTOR

A história de Ericson Cardozo com artes marciais se conecta de uma forma tardia, aos seus 27 anos. Antes, o sensei era um atleta de outra modalidade.

“Foi um projeto de Deus na minha vida, já era uma idade avançada para alguém começar na arte marcial. De repente as coisas aconteceram, eu de repente estava dando aula, estava criando atletas profissionais, também eu, ganhando títulos e fortalecendo o time, e assim nasceu a Bronx, em Vicente de Carvalho”, explica

Foi a presença de Royce Gracie no UFC, vencendo atletas de peso e com uma altura muito superior a sua, que fez com que os olhos de Ericson brilhassem com a arte suave.
Dentre todos os momentos especiais que viveu na trajetória esportiva, ele acredita que mudar a vida de uma pessoa, assim como ajudou no desenvolvimento de Charles, é o grande valor das conquistas.

“Assim como eu peguei um menino de doze anos, que não tinha um e cinquenta para comprar um x-salada na época, e hoje ele se tornou o maior finalizador da história do UFC. Assim como eu transformei a vida dele [Charles], esse é o ideal da Bronx, além de mostrar um caminho de vida melhor, mas também para que aqueles que não alcançam esse objetivo de ser profissional, possam sair aqui do Guarujá, da sua comunidade e ver o mundo”, finalizou.  

Além disso, Ericson agradece toda a visibilidade que seus pupilos trazem para o seu trabalho. Foi graças a essa exposição positiva que ele conseguiu realizar um seminário em Juazeiro, em prol de um orfanato.

Atualmente, a academia possui diversos polos espalhados pelo Brasil, em cidades como Praia Grande e Franca e em outros estados, como Minas Gerais.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Para aquecer

Friozinho pede um bom fondue: 3 locais em São Paulo

Seja doce ou salgado, o fondue aquece a todos. Por isso, a Gazeta trouxe três indicações de locais para comer fondue em São Paulo; confira!

Despoluição

Ex-governador prometeu que 'beberia água do Tietê'

Luiz Antônio Fleury Filho morreu em 2022 sem conseguir cumprir promessa feita no início de seu programa

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter