Publicidade

X

AS COPAS QUE GANHAMOS

Deu Brasil: em 2002 Ronaldo mostrou ao mundo o motivo de ser um fenômeno

Veja detalhes e curiosidades sobre a Copa do Mundo de 2002, a quinta e até então última das conquistas mundiais do Brasil

Leonardo Sandre

Publicado em 26/10/2022 às 12:00

Atualizado em 17/11/2022 às 13:01

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

Com show de Ronaldo Fenômeno que renascia após grave lesão no joelho, e com Rivaldo ajudando o Brasil a sorrir novamente, o torcedor celebrou o penta mundial / Reprodução

A Copa do Mundo de 2002, realizada na Coreia do Sul e no Japão, foi a quinta - e até então última conquistada pelo Brasil. Com show de Ronaldo Fenômeno que renascia após grave lesão no joelho, e com Rivaldo ajudando o Brasil a sorrir novamente, assim os brasileiros celebraram o penta do País.

Veja abaixo detalhes e curiosidades sobre a Copa de 2002:

A 17º edição do torneio teve 32 seleções nacionais qualificadas para participar do campeonato, sendo 15 delas europeias (Rússia, Bélgica, Itália, Suécia, Alemanha, Espanha, Irlanda, Dinamarca, França, Eslovênia, Portugal, Polônia, Inglaterra, Turquia e Croácia), oito americanas (México, Argentina, Equador, Uruguai, Paraguai, EUA, Costa Rica, e Brasil), quatro asiáticas (Arábia Saudita, China, e os países-sede Japão e Coreia do Sul) e cinco africanas (Senegal, África do Sul, Camarões, Tunísia e Nigéria).

O formato foi o mesmo que o atual, com oito grupos de quatro equipes, com as duas primeiras colocadas de cada grupo classificando-se para a fase final. Depois da primeira fase, o torneio foi disputado em mata-mata, com as 16 equipes eliminando umas às outras até a final.

Melhor colocação de um país asiático

Pela primeira vez na história, uma seleção da Ásia ficou entre as quatro melhores do mundo. O país em questão foi a Coreia do Sul, uma das nações que sediaram a competição.

E é justamente por ter sido um dos locais sede que muitos torcedores desconfiam dessa boa colocação da seleção Sul-Coreana. Há quem defenda que muitas marcações dos juízes favoreceram o time.

A Itália, que era um time forte naquele ano, teve cinco gols anulados na competição. Um dos gols, contra a própria Coreia do Sul, que eliminou a Itália nas oitavas de final.

Decepções

Além da Itália que foi eliminada nas oitavas para o país-sede, outras duas seleções fizeram feio para seus torcedores: A Argentina e a França (até então atual campeã), deram adeus ainda na fase de grupos. Os hermanos caíram após derrota para Inglaterra, vitória sobre a Nigéria e empate com a Suécia, ficando na 3ª posição - a líder foi a Suécia e o vice ficou com a Inglaterra.

Já a França não venceu nenhum dos três jogos. Derrotada na estreia de forma surpreendentemente para Senegal, empatou com Uruguai e foi novamente derrotada desta vez pela seleção da Dinamarca. França e Uruguai eliminados no mesmo grupo. Dinamarca passou como líder e Senegal como vice.

Artilharia

Ronaldo Fenômeno foi o artilheiro da competição de maneira isolada. O camisa 9 marcou oito gols na competição.

Boa audiência mesmo com fuso-horário

Mesmo com o horário pouco sugestivo, com partidas durante a madrugada e as primeiras horas da manhã, os jogos tiveram excelentes índices de audiência, o que indica que boa parte do povo brasileiro acompanhou assiduamente os jogos. Boa parte da população pôde assistir à final, visto que no Brasil os dias de partida de Copa do Mundo são decretadas folgas e o comércio permanece fechado. Cerca de 145 milhões de telespectadores acompanharam a partida contra a Alemanha, somente no Brasil.

Brasil na Copa de 2002

A seleção estreou com vitória para cima da Turquia, por 2 a 1, em jogo muito difícil com um pênalti mal marcado a favor do Brasil - a falta havia sido fora da área, porém o juizão acabou marcando penalidade, Rivaldo fez e o Brasil venceu.

4 a 0 na China e 5 a 2 na Costa Rica levaram o Brasil para as oitavas como primeiro colocado em seu grupo.

2 a 0 nas oitavas contra a seleção da Bélgica, com direito a um gol mal anulado para os rivais, 2 a 1 de virada contra a Inglaterra nas quartas, sendo um deles o golaço de falta do Ronaldinho que surpreendeu o goleiro Seaman e o encobriu.

Nas semis, de novo a Turquia. Ronaldo estava com um problema no adutor direito e, em tentativa de disfarçar, lançou o icônico corte "cascão", deu certo. A mídia então passou a noticiar o novo corte "peculiar" do fenômeno que pôde entrar em campo e marcar o gol da vaga para a final, 1 a 0 e nova vitória sobre os turcos.

Final da Copa do Mundo de 2002

No dia 30 de junho de 2002, no Estádio Internacional de Yokohama, no Japão, o Brasil enfrentou a Alemanha, na grande decisão. O time alemão já entrou em campo tendo o melhor jogador daquela Copa eleito, o goleiro Oliver Kahn.

Ao final de 90 minutos, o Brasil venceu a Alemanha por 2 a 0, com Ronaldo balançando a rede as duas vezes - uma delas, por ironia do destino, em falha de Kahn. Com isso, o Brasil se tornou pentacampeão mundial, feito até hoje não igualado por mais nenhuma seleção. A Alemanha perdeu a final da Copa do Mundo pela quarta vez, mais um recorde no torneio.

Coma show de Ronaldo Fenômeno que renascia após grave lesão no joelho, e com Rivaldo ajudando o Brasil a sorrir novamente, o torcedor celebrou o penta mundialRivaldo e Ronaldo foram os protagonistas do penta/ Divulgação - FIFA

O Brasil também se tornou a primeira equipe a conquistar a Copa do Mundo em 3 continentes diferentes (Europa, Ásia e Américas), feito igualado em 2014 pela Alemanha. 

Outro feito brasileiro foi que ao vencer todos os sete jogos dentro dos 90 minutos regulamentares, igualou um feito somente conseguido uma única vez na história das Copas: na Copa de 1970, a Seleção Brasileira também vencera todos os seus jogos (naquela ocasião, porém, a Seleção disputou 1 partida a menos). Esse feito só aconteceu essas 2 vezes até hoje, sendo um recorde duplo brasileiro.

Foi ainda a segunda e última vez que uma Seleção chegou a terceira final consecutiva, permitindo que o lateral Cafu disputasse sua terceira final consecutiva, feito que até então  não foi igualado por ninguém.

Apoie a Gazeta de S. Paulo
A sua ajuda é fundamental para nós da Gazeta de S. Paulo. Por meio do seu apoio conseguiremos elaborar mais reportagens investigativas e produzir matérias especiais mais aprofundadas.

O jornalismo independente e investigativo é o alicerce de uma sociedade mais justa. Nós da Gazeta de S. Paulo temos esse compromisso com você, leitor, mantendo nossas notícias e plataformas acessíveis a todos de forma gratuita. Acreditamos que todo cidadão tem o direito a informações verdadeiras para se manter atualizado no mundo em que vivemos.

Para a Gazeta de S. Paulo continuar esse trabalho vital, contamos com a generosidade daqueles que têm a capacidade de contribuir. Se você puder, ajude-nos com uma doação mensal ou única, a partir de apenas R$ 5. Leva menos de um minuto para você mostrar o seu apoio.

Obrigado por fazer parte do nosso compromisso com o jornalismo verdadeiro.

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

Mundo

Pesquisa afirma que Trump tem 48% das intenções de voto nos EUA

Os resultados mostram que 48% dos entrevistados afirmaram que votariam em Trump

VAGAS NA GRANDE SP

Yamaha abre processo seletivo na área de administração para estudantes

A montadora de veículos Yamaha oferece duas opções de processo seletivo em Jandira

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter