X

ACUSAÇÃO GRAVE EM BARCELONA

Juíza determina prisão provisória de Daniel Alves sem direito à fiança

O atleta foi acusado por uma mulher de tê-la estuprado em uma boate em Barcelona no fim do ano passado

Da Reportagem

Publicado em 20/01/2023 às 14:07

Atualizado em 20/01/2023 às 14:25

Comentar:

Compartilhe:

A-

A+

Publicidade

A juíza espanhola Maria Concepción Canton Martín determinou a prisão provisória e sem direito à fiança de Daniel Alves, acusado de ter estuprado uma mulher em uma boate em Barcelona no fim do ano passado / Divulgação/Pumas

A juíza espanhola Maria Concepción Canton Martín determinou a prisão provisória e sem direito à fiança de Daniel Alves, acusado de ter estuprado uma mulher em uma boate em Barcelona no fim do ano passado.

O pedido de prisão, feito pelo Ministério Público espanhol e reforçado pela defesa da vítima, foi acatado pela juíza depois de ela coletar o depoimento do jogador, que se apresentou ao tribunal nesta sexta-feira (20). Daniel Alves chegou ao local algemado e esperou o resultado do julgamento em uma cela com outros.

O procedimento pelo qual passou Daniel Alves é pouco comum: é de praxe que, entre o depoimento à polícia e o julgamento, passem pelo menos 72 horas. No caso do brasileiro, ambos aconteceram no mesmo dia.

Esposa se pronuncia

Em sua conta no Instagram, Joana Sanz, esposa do jogador, postou uma foto demonstrando apoio ao atleta neste momento.

Em seu Instagram Stories, Joana postou uma foto em que aparece segurando a mão do marido. “Together”, escreveu ela, que significa “juntos” em inglês.

Entenda o caso

Daniel Alves é acusado de "delito contra a liberdade sexual" de uma mulher na boate Sutton, em Barcelona. O atleta negou todas as acusações. Ele confirmou que estava na discoteca Sutton na fatídica noite, mas afirmou não ter cometido nenhum tipo de agressão. 

A mulher afirma que Dani teria passado a mão por baixo de sua saia, encostando em sua genitália. Ela então teria "começado a chorar descontroladamente" e foi consolada pelas amigas, que alertaram os funcionários do local.

A Boate Sutton teria acionado a polícia e tentou encontrar Daniel Alves, que já havia deixado o local.

O assédio sexual teria acontecido na madrugada de 30 de dezembro do ano passado.

 

VEJA TAMBÉM

ÚLTIMAS

CRIME DE TRÂNSITO

Motoristas pagam R$ 600 por dispositivo anti-multa

Golpe da folha magnética permite encobrir caracteres da placa do veículo

Oportunidade em Guarulhos

Feira de empregos: prefeitura e institutos devem oferecer 200 vagas em evento

Para participar dos processos seletivos é necessário levar um documento de identificação original e o currículo atualizado

©2021 Gazeta de São Paulo. Todos os Direitos Reservados.

Layout

Software

Newsletter