últimas notícias
Tanto no canteiro central, como nas demais vias, falta de poda de árvores está tirando o sono dos moradores
Tanto no canteiro central, como nas demais vias, falta de poda de árvores está tirando o sono dos moradores
Foto: Divulgação

Falta de poda preocupa moradores do Jardim Piratininga, em Santos

Na Ponta da Praia, o serviço virou denúncia criminal no Ministério Público pelas mãos de Benedito Furtado

A falta de poda de árvores está preocupando os moradores do Jardim Piratininga, em Santos, que temem prejuízos a seu imóveis. A moradora Kátia Cristina Santos Queiroz, da Rua Edgar Ferraz Navarro - principal via de acesso ao bairro - é uma das insatisfeitas. Segundo conta, o problema começa por conta de um impasse sobre de quem é a responsabilidade sobre o serviço.

"Antes, a Prefeitura e o DER (Departamento de Estradas de Rodagem) dividiam as responsabilidades. Agora, a questão envolve a Ecovias por conta das obras da nova entrada da Cidade. A seringueira pode cair sobre meu imóvel e já acionei todo mundo, mas ninguém resolve nada. Eu pago impostos e deveria ser melhor atendida", afirma Kátia.

A moradora reside há décadas no Piratininga e nunca viu tamanho descaso. "Aqui tem residências bem próximas de árvores. Venta muito e a gente sabe que muitas árvores estão comprometidas. O correto seria retirar estas seringueiras e plantar de pequeno porte, com flores tipo Ipê", acredita.

Se no Piratininga a poda não existe. Do outro lado da Cidade, na Ponta da Praia, o serviço virou denúncia criminal no Ministério Público pelas mãos do vereador Benedito Furtado (PSB), que acredita que houve poda drástica e manejo ilegal nas árvores da Unidade Municipal de Educação (UME) Maria Carmelita Prost Vilaça, por uma empresa contratada pela Prefeitura.

Depois de relatar os benefícios das árvores à vida, Furtado revela ao MP que a poda atingiu mais de 50% da massa verde das copas. "Os executores devem ser responsabilizados civil, administrativa e criminalmente e, se for o caso, serem obrigados a realizar medidas reparatórias", afirma o parlamentar.

Procurada, a Ecovias informou que a Rua Edgar Ferraz Navarro e adjacentes não fazem parte de sua faixa de domínio. A Prefeitura ratifica que o local onde se encontram as árvores junto a rodovia que pertence ao DER que, por sua vez, disse que vai pegar detalhes sobre o assunto e resolve-lo.

Sobre a árvore da UME Maria Carmelita Prost Vilaça, a Secretaria de Educação contratou uma empresa para fazer a poda das árvores, que representavam risco ao telhado e, consequentemente, a alunos e funcionários. A empresa avaliou ser necessária poda de supressão no vegetal devido risco causado no telhado.

Em função da denúncia do vereador, houve reunião entre as secretarias de Educação, Serviços Públicos e Meio Ambiente e o representante da empresa contratada. O relatório da empresa, com a justificativa da poda, será entregue à Prefeitura, que avaliará o serviço. Um plano de manejo arbóreo detalhado para continuidade do serviço será entregue.


Comentários

Tops da Gazeta